O INESGOTÁVEL PICASSO…

 

Apesar de passados quase dois anos, quis postar de novo esta exposição pois acho que ela fala, também, de um assunto que é caro a quem tem filhos: Vocação e realização profissional. Espero que gostem…

 

A linda Expô “Picasso Black & White” provou até aonde vai o talendo de um grande mestre…

A linda Expô “Picasso Black & White” provou até aonde vai o talendo de um grande mestre…

 

Vi, em dezembro de 2012, uma deslumbrante e monumental exposição do mestre Pablo Picasso, no Guggenheim de NYC.

 

Entre tantas preciosidades, algumas nunca expostas por serem de coleções particulares, este foi o meu preferido; do Museu Picasso de Barcelona, que é um must, ” Las meninas, after Velazquez” é um estouro!

Entre tantas preciosidades, algumas nunca expostas por serem de coleções particulares, este foi o meu preferido; do Museu Picasso de Barcelona, que é um must, ” Las meninas, after Velazquez” é um estouro!

 

Museu abaixo, por suas paredes em caracol, a mostra contou a história da arte do maravilhoso espanhol, passeando por suas diversas fases, com um porém: só valeram as obras monocromáticas. Era “Picasso Black and White”. De tão incrível, achei que por um bom tempo, o botão “pausa em Picasso” estava acionado.

 

 

Qual nada, a imaginação humana é infinita e os louváveis curadores não param de arrancar nossos suspiros… Assim, em maio de 2013, fiz um sério trato comigo mesma: nada está visto por antecipação. Porque titubeei em priorizar a exposição “Becoming Picasso: Paris 1901″, na intensa programação em uma viagem à Londres, pois achei que era chover no molhado… Fui salva pela insistência de minhas amigas e, de tudo que vi, foi a mais surpreendente!

 

 Auto-retrato de Picasso, aos 19 anos, exposto na Mostra de Vollard: Fase de auto confiança, rumo indefinido e pinceladas a Van Gogh!


Auto-retrato de Picasso, aos 19 anos, exposto na Mostra de Vollard: Fase de auto confiança, rumo indefinido e pinceladas a Van Gogh!

 

Um século depois, “Becoming Picasso” teve o dom de me colocar diante de um menino de 19 anos, que engatinhava suas pinceladas na efervescente Paris da Belle Époque, “cidade Butantã”, repleta de cobras no pedaço, com seus talentos e desejo de vencer. Confesso que, por instantes, tive piedade de Pablo Picasso, no topo do mundo e sem rumo, copiando ídolos como Degas, Van Gogh e Toulouse Lautrec. Me lembrei do “espermatozoide manco”, de Woody Allen, e em todos os que sucumbiram…

 

“No Moulin Rouge” : Quadro em que Picasso e Toulouse Lautrec se confundem e Picasso começa a assinar suas

“No Moulin Rouge” : Quadro em que Picasso e Toulouse Lautrec se confundem e Picasso começa a assinar suas

 

Mas voltando aos vencedores, esta mostra teve o dom de fazer a síntese do deslanche da inspiração “picassiana”, que se deu em 1901, resumido-a em duas salas:

 

Agora é a vez de Degas ser a fonte d inspiração, na figura da mulher, tema central deste quadro: “O Quarto Azul”…

Agora é a vez de Degas ser a fonte d inspiração, na figura da mulher, tema central deste quadro: “O Quarto Azul”…

 

“A Anã Dançarina”: Um blend entre Van Gogh, Velazquez e suas “Niñas” ou Degas e suas bailarinas ….

“A Anã Dançarina”: Um blend entre Van Gogh, Velazquez e suas “Niñas” ou Degas e suas bailarinas ….

 

– A sala do meu surto de piedade continha a maioria dos quadros da primeira mostra do pintor espanhol, ocorrida em Paris, de 24 de junho a 14 de julho de 1901, e organizada pelo grande marchante, Ambroise Vollard. Para reunir material, Picasso fez uma espécie de imersão pictórica e produziu 64 obras, de uma tacada, em pouco mais de um mês. Típico de um jovem super confiante e de sua ego trip.

 

 Carlos Casagemas, que com sua morte inundou a vida de Picasso de tristeza, inspirando sua carreira rumo à maravilhosa “Fase Azul”…


Carlos Casagemas, que com sua morte inundou a vida de Picasso de tristeza, inspirando sua carreira rumo à maravilhosa “Fase Azul”…

 

No ” Enterro de Cartagemas”, em plena “Fase Azul”, outra homenagem ao amigo Carlos, Picasso vai atrás de El Greco e seu emblemático ” O Enterro do Conde de Orgaz”, para sua inspiração… Fiquei pasma diante dele por sua beleza, por nunca tê-lo visto, nem reproduzido e por ser “O Conde de Orgaz” meu El Greco favorito…

No ” Enterro de Cartagemas”, em plena “Fase Azul”, outra homenagem ao amigo Carlos, Picasso vai atrás de El Greco e seu emblemático ” O Enterro do Conde de Orgaz”, para sua inspiração… Fiquei pasma diante dele por sua beleza, por nunca tê-lo visto, nem reproduzido e por ser “O Conde de Orgaz” meu El Greco favorito…

 

– A segunda sala expôs a abrupta guinada, na vida e obra do pintor, após o suicídio do amigo de seu peito, Carlos Casagemas. Assolado pela melancolia que a dor lhe causou, inaugura a deslumbrante “Fase Azul” e com ela um estilo próprio. É quando Pablo vira Picasso para nunca mais deixar de sê-lo, em sua brilhante e prolixa carreira. BN

 

“O menino com a Pomba”é considerado o primeiro quadro da fase azul e, como todos acima, estava na preciosa “Becoming Picasso”.

“O menino com a Pomba”é considerado o primeiro quadro da fase azul e, como todos acima, estava na preciosa “Becoming Picasso”.

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10 ideias sobre “O INESGOTÁVEL PICASSO…

  1. Ha BN na primeira vez que vi este post já fiquei encantada, agora estou estarrecida, como é possível não ter visto determinado detalhe, aquela forma, aquela pincelada, como deixamos passar uma expressão ou uma informação? Adorei ter visto novamente este post, de quebra aprendi um pouco mais sobre El Greco, e, que bom saber que não fui só eu que tive piedade de Picasso, na primeira vez me senti tão prepotente por ser capaz de sentir isso por esse gênio agora me sinto redimida… rsrs bj

    • Stella adorada, bom dia! Antes de tudo, me conta se vc recebeu este email com a minha resposta na sua caixa ou se a viu quando voltou pra nos visitar. Engraçado, nunca pensei na palavra prepotência, que aliás pode ser perfeitamente empregada. Como sempre estamos ligadas nos filhos, lembrei muito de todas as mães que lutam e torcem para encaminha-los no mundo. Daí tive pela primeira vez um sentimento humano em relação ao grande gênio pois nunca o tinha visto tatiando… Imaginei-o frágil e infantil. Mas vc tem razão, como ousei trocá-lo em miúdo?! Estamos este mês reprisando posts antigos, tipo férias brancas. Que bom que vc achou que valeu a pena. Mil bjs da amiga BN

      • Bom dia flor, não recebi a resposta por e-mail, voltei hoje ao post porque senti que vc responderia, durante o fds não costumo ver o blog, trabalho a semana inteira ao pc e prefiro fazer outras coisas no findi…rs Incrível! foi o mesmo sentimento que tive, nunca tinha passado pela minha cabeça q um gênio como ele pudesse algum dia “não saber o que fazer” ou “como fazer”, sempre o vi “pronto” não pensamos que um gênio é tbém um ser humano, como nós mesmos um dia tivemos q começar a trilhar nosso caminho, assim como nossos filhos farão, vc tem razão e foi muito perspicaz o ângulo em q abordou seu processo de aprendizado. As reprises serão como primeira vez pra mim. Eu gosto muito de Franz Marc, vc tem algo a respeito dele? Beijos a cântaros!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *