LINDA EXPOSIÇÃO DE PAINÉIS DE DIEGO RIVERA, NO MoMA!

Minha antenada mãe sempre procurou incutir em nós, “filhos-discípulos”, que um bom livro é a melhor companhia, e o grande luxo é viajar através das artes plásticas. Espertíssima, priorizou o pitoresco por ser, para ela, o “vaso comunicante” ideal para crianças e adolescentes, e neste contexto, conheci os revolucionários “Muralistas Mexicanos”. Ai de nós se não tivéssemos seus nomes na ponta da língua e nossa preferência por um deles, justificada! Sempre tendi por Rivera, pois amo um romance e a arte de Frida Kahlo: valor agregado!

Muralismo é um gênero de pintura executada sobre parede, como o afresco. Ou em painéis montados, como os que esta mostra expõe, e está íntimamente vinculado à arquitetura, já que a explora, enfeitando suas paredes.

Como numa frisa periódica, ele atravessou a história da arte: prenunciado nas pinturas rupestres vai até ao grafitismo, passando pelas lindas paredes pintadas em Herculano e Pompeia, por Giotto e sua revolução conceitual do século XIII, Michelangelo e a badalada Capela Sistina ou Da Vinci e a ‘Última Ceia”, do refeitório de Milão. A cadeia rompe-se com a chegada do individualismo burguês e sua estética da “Personal Art”, que prioriza as telas de cavalete, ideais para as galerias e coleções particulares. Adormecem, então,  os painéis e sua grandiosidade, até ressurgirem, no início do século XX, com força total, mostrando as revoluções populares e a “arte das massas”.

Mas foquemos o México e seus pintores muralistas super stars, Diego Rivera, Clemente Orozco e David Siqueros (e, de raspão, Rufino Tamayo), pois é um deles que nos interessa neste post!

O muralismo mexicano é de inspiração realista e caráter monumental e está intimamente ligado ao contexto social e político do país, no início do século XX: a revolução mexicana de 1910-1920. Como toda arte engajada, ele tem um cunho didático, e para tanto requer visibilidade, precisando de lugares públicos e temas nacionais. Projeta um México moderno e democrático, pintando suas vedetes nacionalistas como a civilização Pré-Colombiana, a revolução político-social sucedida, a cultural, em curso, do Ministro José de Vasconcelos, etc, etc!

Dito isto, vamos ao tema deste post: a exposição “Murals For The Museum Of Modern Art”, de Diego Rivera, no MoMA, que exibe, oitenta anos depois, os cinco murais portáteis que o pintor mexicano fez para sua primeira retrospectiva em NYC, justamente no emblemático museu!

Em 1931, numa parceria espetacular, o recém criado MoMA propõe ao já renomado Rivera pintar, “in loco”, cinco murais portáteis (já que os que fizeram a fama do pintor estão no México, e são intransportáveis). Improvisou-se, numa galeria vazia do museu, um estúdio para sua execução. Auxiliado por dois assistentes, Rivera produziu cinco painéis deslumbrantes, no tempo recorde de seis semanas, sobre temas mexicano, e mais três, no decorrer da bombada exposição, inspirados na Nova York da grande depressão de 1929. São estas maravilhas que estão expostas, mais alguns desenhos do pintor, como o  estudo do grande painel para o Rockefeller Center, e mais e mais.

Reparem que nossos grandes Di Cavalcanti e Cândido Portinari beberam desta fonte e eles dois mais Diego Rivera, na de Picasso: uma espécie de “chaine alimentaire” pictórica…

Programa IMPERDÍVEL pra quem passar por NYC, até maio de 2012! BN
CURTAM FOTOS!

"Indian Warrior", de 1931!

A vedete da expô: "Agrarian Leader Zapata", 1931!

"Sugar Cane", 1931!

Sobre NYC: "Frozen Assets", 1932!

FAÇAM O TOUR VIRTUAL!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

15 ideias sobre “LINDA EXPOSIÇÃO DE PAINÉIS DE DIEGO RIVERA, NO MoMA!

  1. Uma vez que pretendo visitar a exposição, foi gostoso ter o prazer de ler este post. Parabéns meninas, sempre muito interessante e cheio de dicas bárbaras, adorooo!

  2. Sua mãe foi sábia em buscar um ângulo para interessar as crianças na arte. Eu sempre tentei tb – algo ligado ao que eles estudam, ou a lugares q ja visitamos, algo estranho, qq coisa q faça a ligação … E esta expo deve ser o máximo ! Obrigada pela dica ! Como sempre, maravilhosa. Agora já posso ir dormir ! Boa noite ! T.

    • Querida Teresa, muito obrigada pelos elogios à minha mãe, vou contar pra ela e sei que vai amar! Adoramos o seu “já posso ir dormir”… Nos enche de alegria! Bjs carinhosos BN

  3. Excelente texto que, com leveza e elegância, revela o quanto da influência familiar é importante na formação da Cultura artística da criança e, mais adiante, do adolescente. Parabéns a sua mãe que a encaminhou, a você que absorveu tanto com sua inteligência e sensibilidade e a nós pelo prazer despertado na leitura que nos faz desejar ir ao MOMA admirar esses murais fantásticos.

    • Querido Fernando, vou contar a minha mãe sobre seus elogios, ela vai ficar toda prosa e ressarcida por tanto esforço que fez para tentar nos educar! BN

  4. Adorei o post! Curioso o “frozen asset”: parece que poderia ter sido pintado nos dias de hoje, dado a situação econômica atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *