Gstaad é um paraíso e este chalet do Valentino, onde tive o prazer de jantar algumas vezes é um esplendor! Tudo do maior requinte, o estilista tem o maior bom gosto e recebe como ninguém. Os menus de sua casa são sempre originais como um souflé de penne, que só comi na minha vida por lá, simplesmente uma loucura de bom!

A combinação dos tecidos, a disposição dos móveis e objetos , as esculturas e quadros fazem do ambiente um lugar de sonho, como aliás são todas as suas casas. Valentino tem o talento não só para roupas mas também para decoração. MP

Entrada do chalet Gifferhorn.

 

 

 

Sua sala de jantar.


 

 

Seu quarto.

 

Escultura de carneiro do Lalanne e seus cachorrinhos de estimação.

 

 

A chiquérrima Alexia Wenk com blusa Vince, saia American Retrô e sandália Lanvin. Tudo Vintage House!

Brechó ideal, pra mim, deveria ser:
A- Cheiroso;
B- Produzido, como qualquer outra loja bacana;
C-Ter coisas literalmente do arco da velha, me fazendo suspirar de saudades quando me deparasse com o meu passado fashion ou de raiva por ter dispensado a minha pantalona igualzinha à da vitrine;
D- E ter uma seleção tipo curadoria.

Porque quando entramos num deles funciona como antiquário aonde procuramos sobretudo o passado, ou melhor, o nosso tempo perdido: uma “madeleine” em forma de roupa!

Acho uma verdadeira delícia fazer a grande descoberta, em meio ao amontoado que os caracteriza, daquela peça que só de olhar me remete ao maravilhoso verão de 1979 ou uma festa inesquecível na casa do Júlio e da Bebel Avellar, qualquer coisa que Ali Macgraw usou em “Love Story”, vestígios da Smuggler ou da Anik Bobó e até mesmo o gol do Rondinelli, de cabeça, contra o Atlético mineiro, mesmo que você e eu não sejamos  flamenguista. Nada como embrulhar o bom do passado e levar para casa!

Esta descrição está meio platônica? Não, porque bem ali no Leblon tem um brecho que é uma joinha, preenche quase todos os meus pré-requisitos e ainda tem seção do século XXI, pra quem não é saudosista. Chama-se Vintage House e sua dona, Alexia Schultz-Wenck, é uma das minhas musas da elegância e “sobrinha” queridíssima. Resumindo, não se passa por lá impunemente: vejam nas fotos! BN

OLHEM O VISUAL:

Os sapatos...

Bolsas e suéters...

Seção de calças...

PESCARIA DA BOA…

Cocktail dress de Lyn Devon, lindo!

Matthew Williamson, o mesmo das estampas do Pucci, assina este vestido mara!

Cobra é tudo este ano: esta é do Michael Kors!

Trench coat Grifoni Denin, descoladérrimo!

Bata Tory Burch!

Casaco Balenciaga!

Saia linda Thierry Mugler!

Jeans Balmain!

Sapatilha Chanel!

Louboutin de pitoco, vale dobrado!

Bolsa Alexander McQueen

Bolsa linda de praia... Chanel!

Bota Chloé!

Rasteira hypada Nanette Lepore!

CONTATO:
Rua Aristides Espínola, 121, sala 303, Leblon.
TEL: 21 3496 2177

A ZIBBA da craque Alice Tapajós, que ainda bem, voltou com todo seu bom gosto, lançou sua nova coleção com a novidade que esperávamos: cintos lindos somados às bolsas maravilhosas!

Vamos ver?

AC

Amei! Sou louca por cintos assim! Soma um jeans e uma camiseta branca...Cheguei!

 

 

 

Lindo!

Pra arrasar!

 

Carregando seu dia todo! (como carregamos coisas né?)

 

As cobras e eu, um capítulo à parte!

 

Amei as abelhinhas "voando" na bolsa!

 

Chiquérrima!

 

Couro super macio

 

 

 

 

 

Adorei tudo!

E que tal esses looks destas três lindas, todas com bolsas da Zibba num mesmo jantar?

Maria Rocha, LINDA, com vestido da TM e bolsa e pulseira ZIBBA

Antonia Tapajós Rocha, maravilhosa com sua bolsa ZIBBA

 

Fabíola Cabral, super chic, com bolsa ZIBBA de abelhinhas

AC

Hoje, batendo papo com a minha amiga, a Embaixatriz Adriana Medicis, tive uma dica maravilhosa para quem quer conhecer Cusco, no Peru. Ela acabou de chegar de lá e nos aconselhou vivamente a ficar no “Hotel Inkaterra La Casona”: ela explicou  que é um luxo só, um requinte asiático, por um preço inacreditável!

Este hotel é super “old fashion”, no bom sentido, pois até bolsas de água quente são colocadas nas camas antes dos hóspedes irem dormir… Adoro estes pequenos detalhes que fazem toda a diferença em um hotel. Na casa de minha mãe, na Normandia, também é assim: no auge do inverno, sempre tem uma bolsa de água quente para esquentar as camas, é uma delicia entrar numa cama quentinha, não é?

Não conheço este hotel mas pretendo ir em breve, vou combinar com AC e BN de partirmos para um post especial em Cusco. Acho que vale muito a pena!

Ai vão algumas fotos deste antigo convento que virou um maravilhoso hotel. MP

 

 

 

 

 

 

www.inkaterra.com/en/cusco

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...