Caminho das Índias

Desde que a Internet resumiu o mundo em uma aldeia global, aquelas aventuras complicadíssimas que imortalizaram “viajantes-escritores”, deslumbrando nossa infância com suas narrativas “super-heróicas” (quem nunca se imaginou Marco Polo, paralizando a Europa com um prato de macarrāo?!), tornaram-se divertimento corriqueiro dos simples mortais, transformando lugares inatingíveis em roteiros obrigatórios no repertório dos globe trotters contemporâneos! Butāo, Capadócia, Patagônia ficaram alí na esquina e sāo hoje figurinhas fáceis nas competições sociais de quem foi pro lugar mais inusitado!

Só o meu tāo sonhado “Caminho para as Índias” continuou preservado! Sabe Deus porquê, nessa maratona de lugares a se conhecer antes de morrer, a grande Odisséia é convencer um “regular husband” a encarar, ao menos, o Rajastāo! Lá em casa foi assim até eu ser salva pelo meu antenado agente de viagem, quando propôs o desconhecido “Maharajas Express”!

Trata-se de um trem à la Agatha Christie, com todo conforto e luxo de um hotel 5 estrelas da rede Aman, visual anglo-indiano na medida e roteiro digno de um hóspede do Marajá de Patiala! Ah! A ausência de palavras aterrorizantes do deslocamento aéreo como aeroporto, aviāo, mala são um plus neste mundo mágico sobre trilhos!
Dito isto,embarcamos meu marido e eu, para um “blind date” pelo Rajastāo.
Que maravilha encontrar uma Índia editada no seu esplendor, mas com pitadas das maselas que fazem do país o maior exemplo de high-low rural e urbano que já vi! Por oito divinos dias eles nos encantaram enfatizando, de maneira competente, toda a magia e beleza de um lugar surpreendente, para o bem e para o mal! Não pense em premeditá-la,a Índia é beyond imagination!

O seu cheiro,suas cores, suas ruas emaranhadas de gente, camelo, cavalo, tuque-tuque, moto, boi,  vaca, e até carro, gerando uma espécie de caos organizado, são sensações mais do que contatações e estão ao alcance de qualquer turista.

O diferencial do trem é o número reduzido de passageiros, a estrutura surreal que nos faz sentir totalmente safe aonde quer que estejamos e o bom gosto e precisão na escolha do que mostrar e sempre só pra nós: almoço num palacio, recebidos pelo próprio marajá, jantar no Laxmi Vilas Palace, do poderoso Marajá de Baroda (o dos 23 tiros de canhão); safari na personal-floresta dos marajás(yes, eles tinham 2!); ceiar no deserto à luz de velas, serviço à francesa, baixela de prata, orquestra a embalar bailarinas de mil e uma noite; polo em elefante(eu joguei e marquei 1 gol!); amanhecer vendo o Taj Mahal mudar de cor; etc,etc!

Queridos, o difícil é voltar pra casa sem não se sentir, ao menos, um autêntico marajoca! BN

Clique aqui: Maharajas Express

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

25 ideias sobre “Caminho das Índias

  1. HJE UMA PONTA DE ESPERANCA REACENDEU MEU SONHO DE CONHECER O PAÍS DOS MARAJÁS E O CELEIRO DAS JÓIAS MAIS LINDAS DO MUNDO QUE ESTÁ NO RAJASTÁO, BEBEL VC FEZ-ME CRER QUE MEU MARIDO VAI FINALMENTE ATENDER AOS MEUS APELOS E FAZER ESSA VIAGEM DE TREM. HÁ ANOS ELE ME DIZ: PRA INDIA EU NAO VOU. SERÁ NOSSO PRÓXIMO DESTINO, PRECISO DO SEU AGENTE DE VIAGEM.MUITO, MUITO OBRIGADA, MARIA AMÉLIA.

  2. Oi Bebel, adorei o artigo!!!! Agora a pergunta: quem e seu agente de viagens???? (dificil????)

    Oportuno: Parabens pelo Blog… muito legal… fantastico!!!!!

  3. Me fez lembrar , Vietnã e Camboja,dois lugares fantástico que amei.A India sempre fiquei em dúvida de conhecer mas depois de ler sua matéria ,estou começando a animar.Essa viagem de trem me fascinou.

      • Obrigada Bebel,
        Parabéns pelo blog,nao conhecia bem,até você me dar o seu cartão lá na casa da Gloria Severiano,nas compras de chocolates da Rafinha.
        Adoro,fazer essas viagens exóticas por isso estou sempre navegando por esse lado.
        Como sempre paramos em Paris,também adorei a matéria de Giverny (Claude Monet),você esta certa essa viagem tem que fazer saindo no máximo 9 da manha,pois a ultima vez,fiz um dia pela Região de Champagne,que foi maravilhoso,e no outro dia acordei tarde e quis ir para para Giverny,e foi impossível ,por outro lado foi bom que ficou o gostinho de voltar.
        Mas estou com esse passeio na cabeça ,que com certeza será a primeira coisa a fazer ,e depois da sua dica vou chegar até a cidade que fica 27 km de lá,para mergulhar também pelas história de Van Gogh.
        Um grande abraço.

  4. Amei! Já fiz um monte de viagens exóticas, mas a Índia ainda estava nas nossas “pendências” justamente por causa do trecho de trem. Pensei que seria o caos! Agora me animei, vou já mostrar isso para meu marido pois tenho certeza que ele vai se animar! Não sei se vcs já foram para a África do Sul, mas lá também tem o Rovos Rail que é máximo. Fizemos o trecho e Pretória a Cape Town. Check it out! http://www.rovos.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *