A querida e craque arquiteta e decoradora, FERNANDA PESSOA DE QUEIROZ, faz até este sábado o super evento, recheado de coisas lindas, comidinhas e dicas imperdíveis!
Não percam!

Fernanda Pessoa de Queiroz

Em suas palavras o que é o “La em Casa…”

“Esse projeto nasceu da vontade de dividir o meu olhar e idéias de como usar com muito charme peças simples e despretensiosas que amo!!

Esta edição está cheia de novidades lindas na nossa coleção de objetos, moveis, cama, mesa, banho etc e teremos também o Jojo Bistro com mil comidinhas deliciosas e a Ellas Flowers ensinando a fazer um arranjo de flores para você levar para casa!

Te espero na loja Interni
Fernanda Pessoa de Queiroz”

Objetos práticos e charmosos para a casa


Dias 24,25 e 26 de agosto de 11 :00 às 20:00
Rua Jardim Botânico, 221

Valet no local
Aceitamos Cartão de Crédito

Parte da venda é revertida para as Instituições CACCST(Casa de Apoio a Crianças com Câncer Sta Teresa) e ao Lar Sta Catarina.
AC

 

 

Nascido no Rio de Janeiro em 1993, Luiz Dorey, filho de dois amigos queridíssimos meus de toda vida, deslanchou nas artes plásticas, com seu talento sendo reconhecido internacionalmente.

Ele mudou-se para Nova York em 2012, onde atualmente mora e trabalha. Graduou-se bacharel em Belas Artes na School ou Visual Arts em 2016, pela qual foi escolhido para representar a instituição com trabalhos na feira Pulse de Miami. Recebeu, também da SVA, as premiações 727 Award (2016), Sillas H Rhodes Award (2016) e Gilbert Stone Scholarship (2015).

 

 

 

O carioca trabalha como assistente do artista Carlos Vergara em suas visitas ao Rio e também com Raul Mourão em seu Studio no bairro do Harlem em Nova York. Seu currículo conta mostras coletivas em Nova York, Londres e no Rio de Janeiro, além de participações nas feiras SP Arte e Art Rio. Atualmente o jovem artista faz sua primeira exposição individual  na Mercedes Viegas, galeria pela qual é representado no Rio.

 

 

Leiam o que ele nos conta:

 

 

“Dia 16 de agosto na galeria Mercedes Viegas no Rio abriu a minha primeira exposição visual na qual apresento em torno de 15 pinturas inéditas. Os trabalhos fazem parte de uma série que eu venho desenvolvendo ao longo dos últimos dois anos. Para a construção de uma imagem, que tem como ponto de partida fotos que tiro de construções e arquiteturas da cidade de NY,  eu me utilizo de pôsteres arrancados dos tapumes de obra como o meu principal material.

 

Uma das coisas que mais me interessa nesse sistema são os limites criados pela disponibilidade do material, que naturalmente me propõe problemas pictóricos a serem resolvidos. Então o trabalho está sempre dialogando com esse limite entre o acaso e a intenção, mas o mais interessante é que o acaso em questão não é qualquer tipo de eventualidade. Ele se da pelo fato do material em uso ter sido produzido com outras intenções diferentes da minha como artista. Então todo o pôster que eu encontro carrega uma série de informações baseadas na intenção genuína de outra pessoa, seja ela a de anunciar um show, de promover uma marca, de fazer um protesto, uma mensagem política etc. Esse cruzamento de intenções me interessa porque ele leva pra dentro da pintura em conteúdo verdadeiro que diz respeito a um determinado lugar e tempo específicos.

E foi justamente pensando nessa questão que eu tive a ideia de, após terminar cada pintura, fotografá-la e reproduzir sua imagem em um papel de pôster e colá-lo novamente no tapume de obra. Após um registro diário fotográfico e de vídeo, arranco meu próprio pôster e eu uso o que aconteceu sobre a imagem da minha pintura como início de um novo trabalho.”

 

Mercedes Viegas Arte Contemporanea
R. João Borges, 86 – Gávea, Rio de Janeiro
Até dia 23 de setembro
AC

Mormaço, 1941

Começa nesta quarta feira, dia 2, no Centro Cultural Banco do Brasil a maravilhosa e imperdível exposição do grande pintor pernambucano, Cícero Dias. 

A mostra tem curadoria de Denise Mattar e consultoria de Sylvia Dias, filha do artista.

Trata-se do conjunto da obra de Cícero Dias, contextualizando sua história e evidenciando sua relação com poetas e intelectuais brasileiros e sua participação no circuito de arte europeu.

Além das obras, apresenta cartas, textos e fotos de Manuel Bandeira, Gilberto Freyre, Murilo Mendes, José Lins do Rego, Mário Pedrosa, Pierre Restany, Paul Éluard, Roland Penrose, Pablo Picasso, de quem Cicero era compadre,  padrinho de batismo de sua filha Sylvia,  Alexander Calder, entre outros.

No engenho de açúcar de Cícero Dias, homens brotam do chão e mulheres carnudas desabrocham como flores, de pétalas aos montes. Lavadeiras nuas esfregam roupas no riacho, e uma cortesã aguarda o senhor da terra refestelada sobre os lençóis cor-de-rosa de uma cama plantada bem no meio do canavial.

 

O Goleiro, década de 20

 

Esse mundo fantástico das telas do modernista, alvo de uma retrospectiva agora no Centro Cultural Banco do Brasil no Rio, está estruturado em cima da cor.

Mesmo em seus trabalhos mais abstratos, Cicero não esquece a luz dos trópicos. Recife, onde o mundo começava, na visão do artista nascido num engenho ali perto, parece entranhado até nas mais secas de suas composições construtivistas, de formas angulosas que parecem serenas praias pernambucanas colapsadas e passadas a limpo com régua e esquadro.

Cícero Dias – Um Percurso Poético.

O Centro Cultural Banco do Brasil 

de 2 de agosto a 25 de setembro de 2017   

AC

 

A artista plástica Isabela Francisco, além de linda e simpaticíssima, é super talentosa! Ela trabalha com telas de grandes dimensões, quase todas elas de forte impacto visual.

Suas obras dialogam e instigam no público sentimentos varidos, numa integração de emoção com as formas expressas em cores fortes e nuances múltiplas.

 

O curador Marcos Lontra assim conceitua o fazer artístico de Isabela:

“ Para ela a arte é um permanente exercício de experimentação, e para que ocorra a necessária transcendência do real – essência da arte – é fundamental um profundo conhecimento dos meios técnicos que permitem à artista construir imagens de forte impacto e contundência visual. Por isso, o conhecimento técnico, o amplo domínio das tintas e pincéis, não se torna jamais um impedimento. Ao contrário, a necessária ação artesanal pictórica contribui efetivamente para o surgimento de um universo de cores, formas e volumes que, integrados, transcendem a realidade objetiva e encontram eco e abrigo no universo da arte.”

Isabela também recebeu de Oscar Niemeyer a seguinte declaração, à época em que se dedicava à serie de quadros brancos:

“ Gostei muito dos trabalhos da artista plástica Isabela Francisco. Fogem do exibicionismo que tantas vezes desmerece as artes plásticas em nosso país. São composições em relevo simples e brancas, bonitas, transmitindo aos ambientes onde são expostas um pouco da serenidade que a vida moderna reclama.”

 

 

 

Referindo-se ao trabalho da artista, a jornalista Ann Mary Perpétuo assim se manifestou:

“Colorista por excelência, Isabela sabe trabalhar, com enorme criatividade, a abstração do branco, no esplendor de sua textura.  Utilizando materiais diversificados, resultado de um passeio pelo terreno fértil da experimentação, opta sempre pelo relevo inusitado em suas criações. Adepta do figurativo e dos temas da natureza, surpreende, por algumas vezes, com o abstrato e o geométrico, trazendo-nos movimentos raros de leveza e extrema harmonia, realçando em suas obras o contraste da luz, da sombra e da ousadia. Trabalhando constantemente em telas de dimensões generosas, que primam pela exuberância, oferece em suas obras, ora uma explosão de cores, ora a tranquilidade do branco.”

 

Curtam as fotos de seu lindo trabalho!

AC

    

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...