FullSizeRender-2

Restaurante La Saulire em Courchevel.

 

La Saulire faz parte da minha lista dos melhores restaurantes de Courchevel, ele é situado bem no centro da cidade. O ambiente é divino, o decor típico é muito agradável, o dono Jacques é o maior amor do mundo  e o mais importante, a comida é excepcional!

A grande especialidade é a trufa negra e a carta de vinho um primor total. Foi uma das melhores fondues de queijo com trufas que já comi na vida, e é sem duvida a comida que temos vontade de comer na montanha e tudo feito com muito requinte!

La Saulire: + 33 0479 080752

MP

FullSizeRender-4

Adorei o “trompe L’ oeil”

 

 

FullSizeRender-1

Reparem o tamanho da trufa!

 

FullSizeRender-3

Eu o simpático dono e o Embaixador Paulo Uchoa curtindo o “La Saulire”.

 

Esta é a porta para um dos restaurantes mais charmosos que conheço: "Da Ivo", em Veneza... Tão romântico!

Esta é a porta para um dos restaurantes mais charmosos que conheço: “Da Ivo”, em Veneza… Tão romântico!

 

Toda vez que algum amigo vai pra Veneza e pergunta sugestão de restaurantes, espero pra recomendar: vai no “Da Ivo”, é mágico e muito mais. Porque esta “cantina” elegantérrima e discreta está lá, desde que o mundo é mundo e, por um destes mistérios, continua reservada aos “iniciados no culto a Osíris”, mesmo tendo sido palco de uma das festas do casamento do ator George Clooney com Amal Alamuddin…

 

Tudo por lá é absolutamente encantador!

Tudo por lá é absolutamente encantador… Vejam o lindo cardápio!

 

Apesar de amar a Itália e ser sua cliente habitual, reservei minha ida ao reino veneziano para um dia, acho que por medo de reversão da expectativa. Assim, fui bater naquele deslumbramento há dez anos atrás, carregada de dicas das fontes mais diversas, entre elas, o restaurante “Da Ivo”, apresentado pelo querido jornalista Roberto Davila, que honra o sobrenome que tem: é um exímio conhecedor dos encantos italianos!

 

Vejam que delícia de ambiente...

Vejam que delícia de ambiente…

 

Prático e sucinto, ele só me recomendou o nome, sem maiores alardes. Talvez tenha sido até melhor, pois meu queixo passou a noite caindo, tantas as gratas surpresas. A começar pelo ambiente, pequeno e elegante na medida; staff parecendo de filme de Visconti tal a sobriedade, competência e requinte e um cardápio sensacional. Mas não parou por aí.

 

Pra dar água na boca: um dos carros- chefes da sua cozinha, o risoto de lá é pra comer rezando!

Pra dar água na boca: um dos carros- chefes da sua cozinha, o risoto de lá é pra comer rezando!

 

Suave é a noite por lá… Assim, os clientes quase sussurram na tentativa de tornarem-se transparentes e não atrapalhar a curtição alheia. Suspiro vai, olhares vêm, de repente surge um movimento do chiquérrimo “maître d’hôtel” rumo à uma janela à minha frente. Falsa como uma nota de U$ 2, depois de manusea-la acabou revelando sua real natureza, com todo “nonclalance”: porta acoplada que, quando aberta, dá no canaleto que margeia a entrada dos fundos do restaurante, para os sabidos que chegam de gôndola, triunfalmente!

 

Esta é a tal janela que vira porta, num piscar de olhos...

Esta é a tal janela que vira porta, num piscar de olhos…

 

A entrada digamos "aquática" do da Ivo, dando para um canaleto.

A entrada digamos “aquática” do da Ivo, dando para um canaleto: secreta pra os não iniciados, como eu… Roberto esqueceu de recomendar o pulo do gato: vai de gôndola!

 

Clientes esperando para sua romântica saída!

Clientes esperando para sua romântica saída!

 

Fiquei inteiramente siderada por este ballet arquitetônico e seu clímax: a chegada retumbante do muso Hubert de Givenchy, seu companheiro Philippe Venet, mais Marina Cicogna e um grupo. Achei muita graça ao observar que os teatrais clientes seguiam, com seus ares “blasés”, desconhecendo completamente estes movimentos. Até sermos interrompidos por uma curiosa americana, “upper east style”, seu genuino pragmatismo e o seguinte diálogo:
– “Excuse-m, but may I ask who are they?”…
– “Hubert de Givenchy e Philippe Venet”, resumi;
– “Whooooo????!”, retrucou…
– “Givenchy, the great fashion designer”, tentei de novo;
– “Whooo???”
Aí não tive dúvidas, vou de Audrey, pensei…
– “Breakfast at Tiffany’s”, proclamei!
– ” Oh, yeeessss, thank you!!!”, agradeceu a linda moça, radiante por ser re-integrada ao “assunto”.

 

Hubert de Givenchy, cliente habitual e a musa Audrey: conectados forever!

Hubert de Givenchy, cliente habitual e a musa Audrey: conectados forever!

 

Minha querida Audrey, eterna musa, me salvou. E adorei a noite, que seguiu seu percurso elegante e inesquecível! BN

CLIQUE AQUI PARA O SITE!

 

 

 

Captura de Tela 2015-01-25 às 17.34.36

 

O Stresa é um dos restaurantes mais “glamorous” de Paris, adoro ir almoçar lá. Na época dos desfiles em Paris é um badalo só!  É um lugar divino onde encontro sempre amigos e artistas que admiro, como Jean Paul Belmondo e Alain Delon e também todas as cabeças coradas e interessantes do mundo inteiro!

 

Captura de Tela 2015-01-25 às 17.35.03

O escultor Cesar cozinhando com os irmão.

 

Durante anos o grande escultor francês Cesar, que criou a estátua do “Oscar” do cinema francês, almoçava lá todos os dias, e seu pagamento eram esculturas feitas por ele e dadas aos irmão Faiola. Aliás tem uma que adoro que são talheres prensados… Hoje vale uma verdadeira fortuna!

 

Captura de Tela 2015-01-25 às 17.34.08

Os cinco irmãos Faiola.

 

A história é incrível pois o Stresa foi vendido em 1984 aos irmão gêmeos Antonio e Claudio Faiola, que já eram copeiros do restaurante e aos poucos a família dominou o lugar. Hoje em dia os 5 irmãos são sócios, uns servem e outros cozinham divinamente bem. É a verdadeira cozinha italiana gostosa e ensinada pela “Mamma”, que deveria ser poderosa na cozinha, pois a comida é realmente excepcional e vários pratos tem o nome de clientes “stars” queridos.

 

Captura de Tela 2015-01-25 às 17.34.51

Irresistível o espagueti com trufas…

 

O único defeito é que como é bem pequeno a reserva tem que ser feita com um pouquinho de antecedência, mas vale MUITO a pena…

MP

RESTAURANTE STRESSA

7 RUE CHAMBIGES

PARIS 75008

TEL + 33 1 47235162

Cafe_entrada

 

A Rua Lopes Quintas, no Jardim Botânico, que está virando uma espécie de nova Dias Ferreira, acaba de ganhar mais um endereço de comidinhas gostosas. É o DC Lá em Cima, anexo da multimarcas Dona Coisa, que depois de uma reforma de dois meses, está sendo reinaugurado como bistrô com menu de cheio de boas novas.

sanduiche_ciabatta com rosbife de file mi gnon, rucula, tomate e pesto organico

Aberto de 11hs às 20hs durante a semana e de 11hs às 18hs no sábado, é para um almoço leve ou para um lanchinho de fim de tarde. O cardápio tem desde um irresistível pão de queijo trufado ou um pastel de nata de bacalhau à sopas caseiras, sanduíches no ciabatta e no brioche, além de massas de arroz, e doces irresistíveis.

 

torta de chocolate com cafe + cal da de chocolate_Vera Balteiro

 

Dá pra escolher entre as tortas da Casa Bon Ton e de Vera Balteiro. E, pra finalizar, o café da Casa do Barista, que vai bem no expresso, no cappuccino e no afogatto. Ao redor das mesas, as estantes estão cheias de objetos de casa, selecionados com o mesmo cuidado das roupas da loja ao lado.

AC

 

Cafe_fundos

 

sopa de cenoura_canja de galinha

Cafe_direita

 

Macarrao de arroz com pesto organico2  Cafe_estante cafe_esquerdo

DONA COISA

Rua Lopes Quintas 153, Jardim Botânico

tel:  21- 2249 2336

 

AC

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...