NÃO FOI INRI QUE ESCREVERAM NA CRUZ, por DEONÍSIO DA SILVA

 

 

É sempre uma honra para nós do 40 Forever receber a visita ilustre do Professor Deonísio da Silva que nos enriquece com seus artigos! Minha santa ignorancia agradece este em especial!

AC

 

NÃO FOI INRI QUE ESCREVERAM NA CRUZ

“O Império Romano mandava escrever na cruz dos condenados o nome do réu e o motivo da pena de morte. No caso de Jesus, a tradição sempre informou que a explicação estava resumida no acrônimo INRI, como vemos nos crucifixos.

Mas o Evangelho de São João 19,19 informa que a frase foi colocada completa, sem abreviação ou acrônimo algum: “Pilatos mandou escrever e colocar na cruz esta inscrição: Jesus, Nazareno, Rei dos Judeus”. “Estava escrita em hebraico, em latim e em grego”.

 

Santa Helena, mãe de Constantino

 

Narrações históricas e lendárias informam que Santa Helena, mãe de Constantino, que no século IV tornou o cristianismo a religião oficial do império romano, liderou a expedição que encontrou a cruz em que Jesus foi crucificado, repartiu-a em três partes, mandando um pedaço para cada uma das três igrejas construídas especialmente para guardar o precioso tesouro: em Jerusalém, em Roma e em Constantinopla.

 

Golgotha

 

Erros de tradução contribuíram para que tal relato fosse dado como invenção, mas inventio em Latim significa descoberta. Então, ela não inventou essa história, ela descobriu a cruz, os pregos e a tabuleta nas escavações que mandou fazer no monte que em Hebraico era chamado Gólgotha, em Aramaico Gûlgaltâ, em Grego Kraniou topos, e em Latim Calvarium. Nas quatro línguas, o significado é o mesmo: lugar das caveiras. Era naquela pequena elevação, nos arredores de Jerusalém, que os condenados à morte eram crucificados.

 

Detalhe da Golgotha

 

Os romanos designavam titulus a tabuleta, cujo significado em Português é título, inscrição. E o que ali estava escrito era chamado elogium, que no Português elogio conservou apenas um significado positivo. No Latim designa identificação, podendo ser de nobreza ou não. Era semelhante ao Grego epitáhion, epitaphium em Latim e epitáfio em Português.

 

 

Em túmulos antigos, o epitáfio trazia versos enaltecendo as virtudes de quem ali estava enterrado, mas às vezes eram versos satíricos que debochavam de alguma característica ou defeito do falecido. Os romanos enterravam ou incineravam os mortos, dando origem à palavra busto, de bustum, queimado, do mesmo étimo de combustão. Isto porque, no lugar em que o morto era queimado, erguia-se um pedestal onde era posta a sua imagem em bronze.

Há outras curiosidades no elogium, a escrita do titulus, a tabuleta posta na cruz do Senhor. Como no Hebraico a frase é escrita da direita para a esquerda, o copista, a mando de Pilatos, escreveu as traduções em Grego e em Latim, também da direita para a esquerda, mas nessas duas línguas, como no Português, é da esquerda para a direita que se escreve. Pilatos exigiu também que a frase latina ficasse perto da cabeça do condenado. Assim, a hebraica ficou no alto, e a grega no meio das duas.

 

Salmo 23 em aramaico

A Palestina, palco dos trágicos eventos, era então poliglota. No comércio, usava-se o Grego. Nos documentos, predominava o Latim. No templo, o Hebraico. E na vida quotidiana, o Aramaico, língua em que Jesus ensinava aos contemporâneos.

 

 

Aonde nos leva essa fascinante história das palavras!”

 

Deonísio da Silva
Escritor e Professor, Doutor em Letras pela USP.
Da Universidade Estácio de Sá e da Academia Brasileira de Filologia

 

AC
 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

30 ideias sobre “NÃO FOI INRI QUE ESCREVERAM NA CRUZ, por DEONÍSIO DA SILVA

      • Mas o Evangelho de São João 19,19 informa que a frase foi colocada completa, sem abreviação ou acrônimo algum: “Pilatos mandou escrever e colocar na cruz esta inscrição: Jesus, Nazareno, Rei dos Judeus”. “Estava escrita em hebraico, em latim e em grego”.

        • Mas o Evangelho de São João 19,19 informa que a frase foi colocada completa, sem abreviação ou acrônimo algum: “Pilatos mandou escrever e colocar na cruz esta inscrição: Jesus, Nazareno, Rei dos Judeus”. “Estava escrita em hebraico, em latim e em grego”.

    • Meus amigos e irmãos: INRI tem dois significados um expresso e um oculto. Sabemos que os Romanos eram pagãos e deram um duplo significado ao termo INRI que não e um nome próprio e sim um acrônimo. Os exegetas da Biblia traduziram INRI como é entendido no plano mental : Iesus Nazarenus Rex Iudeorum (Jesus Nazareno Rei dos Judeus) mas todos os iniciados em Arcanos e Mistérios, sabem que INRI no plano astral significa: “Igne Natura Renovatur Integra” (A Natureza inteira é renovada pelo Fogo) lema do Cristianismo Iluminista. T Marinho

  1. Aos que nao entenderam, tentarei passar minha conclusao.
    Logo no primeiro paragrafo o Prof. Dionisio da Silva faz saber que o Imperio Romano mandava escrever na cruz dos condenados o nome do reu e o motivo da pena da morte, no caso de Jesus, temos a informacao que tais dizeres foram resumidos ao acronimo INRI. Todavia, segundo o Evangelho de Sao Joao 19,19, Pilatos mandou colocar em hebraico, latim e grego, sem acronimo algum a frase “Jesus Nazareno, Rei dos Judeus”, ou seja, o nome do reu e acredito que ai “Rei dos Judeus”seria o motivo da pena de morte às avessas, assim eu entendi, de qualquer forma o post da margem a pesquisa e observacao o que o torna bastante interessante.

    • caro Dirceu,pelo o que eu aprendi , nomes próprios de : pessoas e lugares não se traduz ; as letras INRI e o vocábulo ( jesus nazareno rei dos judeus ) não condiz, porque a letra J . não faz parte do alfabeto hebráico.até porque se o salvador tivesse um nome ao menos um dos discípulos o teria chamado pelo nome,e não há lugar nenhum em que alguém o chamou pelo nome ,mas todos só se dirigiam a ele como; mestre ,rabi e senhor.portanto o salvador não revelou o seu nome a niguêm , e nós somos salvos é por meio do seu sacrifício e obediência aos mandamentos.a verdade é que a escritura conhecida como Bíblia foi copiada várias vezes. traduzida, revisada, corrigida para vários idiomas, e se examinarmos com os olhos da fé ,veremos os erros não dos escritores, e sim dos coopistas e tradutores. ex: um fato importantíssimo,DEUS nunca disse o seu nome pra ninguêm , nem para os patriarcas veja, ( Exodo 6.2,3 ) tambêm foi com o messias conhecido como o filho do homem. (Mateus 16.13-20 ) pois só saberemos o seu santo nome naquele dia (futuro ) conf. em ( isaias 52.6 ) eh não acredite em tudo que vcs veem, leem ou ouvem, peçam ao Criador entendimento e ele dará a quem desejar conhecer à verdade, por fim leia ( joão 8.31,32 ).

      • antes de “Jesus” nascer já sabia-se o Seu nome.(Isaias 9:6 “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.”)(Isaías 7:13 “Então falou Isaías: “Ouvi vós, todos os descendentes da Casa de Davi! Parece-vos pouco o fatigares e provares a paciência dos homens? Agora quereis também abusar da paciência do meu Deus? 14Pois sabei que o Eterno, o Senhor, ele mesmo vos dará um sinal: Eis que a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o Nome dele será Emanuel, Deus Conosco!”)(Mateus 1:23
        “Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e Ele será chamado de Emanuel”, que significa “Deus conosco”.)
        sem mais, abraços!

  2. Agradeço a atenção de todos os que postaram comentários e acrescento que uma pequena alteração no original grego ensejou a ambiguidade: NAZARENO, em grego, que quer dizer “de Nazaré”, de onde realmente Jesus era, é escrito de uma forma bem parecida a “NAZARINO”, que quer dizer dedicado a Deus. O motivo da condenação, ainda mais claro depois de comentários como o de Dirceu Neves, foi confundido com o nome da localidade de onde Jesus vinha, pois ele era conhecido como Jesus de Nazaré. Ana Cecília encontra sempre ilustrações muito pertinentes e belas. É uma honra ter meus artigos publicados aqui. Muito obrigado! Para quem quiser artigos de outros temas, meu blog é http://www.deonisio.blogspot.com, sem a beleza plástica deste aqui porque eu não conto com a Ana Cecília por lá! (risos).

  3. Caríssimo Prof. Dionisio da Silva,
    que honra enorme ser citado em seus agradecimentos,
    nada é mais claro que a sua linguagem tão rica e profunda, me curvo aos seus conhecimentos naquele “pretenso” breve esclarecimento, muito obrigado!

  4. INRI é o acrônimo da frase em latim: Iēsus Nazarēnus, Rēx Iūdaeōrum cuja tradução é “Jesus Nazareno (ou, de Nazaré), Rei dos Judeus”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *