O AZUL QUE FASCINA: YVES KLEIN

“UNTITLED” (1958)

 

Yves Klein, um dos artistas mais influentes e conhecido do século 20, praticamente reinventou a arte contemporânea na década de 50 por seu fascínio com o imaterial.

Um apaixonado pelo céu e seus tons, criou seu próprio pigmento azul (chamado de “Klein Blue”).

Klein abriu o caminho para os movimentos da arte conceitual, minimalista, e os movimentos performáticos que se seguiram. Ele fez pinturas monocromáticas e esculturas, construiu uma galeria de exposições a partir do nada, utilizandos corpos nus como pincéis para aplicar tinta ao papel, deixando o vento e a chuva darem forma em  suas telas.
Suas obras fazem parte de acervos permanentes de importantes museus ao redor do mundo, estando presente também em renomadas coleções particulares.

Nascido em Nice na França, em 28 de abril de 1928, o pintor e escultor francês Yves Klein morreu em Paris em 06 de junho de 1962.

Vamos dar uma olhada em suas pinturas e esculturas, “monocromáticos Klein Blue”!

AC

 

“GREAT BLUE CANNIBALISM” (1960)

 

“ANTHROPOMETRY PRINCESS HELENA” (1960)

 

Yves Klein e uma modelo durante performance de “Anthropometry of the Blue Epoch”
Ele era conhecido por usar modelos como “pincéis” para suas telas.

 

“PEOPLE BEGIN TO FLY” (1961)

 

“UNTITLED ANTHROPOMETRY” (1961)

 

“THE WAVE” (1959)

 

“DYING” (1961)

 

“THE VENUS OF ALEXANDRIA” (1962)

 

“BLUE” (1960)

 

“TREE, LARGE BLUE SPONGE” (1962)

 

“ANTHROPOMETRY” (1960)

 

“BLUE AGREEMENT” (1962)

YVES KLEIN

AC

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 ideias sobre “O AZUL QUE FASCINA: YVES KLEIN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *