Cuba: das melhores viagens que fiz na vida!

Cuba: das melhores viagens que fiz na vida!

 

Nunca imaginei visitar Cuba, tantos os roteiros mundo afora e tão curta a vida… Que bobagem, fui surpreendida por uma das melhores viagens ever!

Tudo começou num almoço, quando o filho da vez a escolher nosso destino era Isabel TM, a caçula. África vai Israel vem, acabamos batendo o martelo: a Ilha. Era começo de dezembro e, no meio de caloroso debate, Maria TM lança um argumento insólito pra época: “Vamos antes que acabe”… Parecia premonição pois 15 dias depois (nós já com as passagens na mão, ufaaaa) o Presidente Obama declara para, muito em breve, o “desembargo” à Cuba. Assim, nossa ida que era meramente turística virou quase jornalística e voltamos com a leve sensação de observadores da história…

 

Minha primeira imagem da Ilha: o aeroporto de Havana, simpático e despojado.

Minha primeira imagem da Ilha: o aeroporto de Havana, simpático e despojado.

 

Desembarcamos por lá, de noite e na noite dos tempos, com um minucioso roteiro montado por mim (parte diurna/cultural) + Maria TM (parte noturna). Ela é nossa “personal concierge” (craque na escolha de restaurantes, hotéis e cia) e a benção dos amigos de uma vida, Alice e Bob Medici (contato no final deste post), agentes divinos de viagem, que há anos transformam nossos delírios turísticos em doces realidades: eles fazem toda a diferença!

Conto, a seguir, um roteiro enxuto de cinco dias, baseado no nosso (ficamos nove dias, sem contar a chegada e a saída) que editei em seus percalços, já que os cubanos são um povo encantador e solícito mas, por enquanto, inteiramente crú no quesito turismo. A favor deles, têm uma vontade louca de acertar. Por isso, acatam as mudanças de percursos imediatamente, com toda presteza! E eu fiz algumas fundamentais…

 

O lindo Capitólio cubano, na entrada de Havana Velha.

O lindo Capitólio cubano, na entrada de Havana Velha.

 

DIA 1: HAVANA
CITY TOUR
Se estiver tempo bom, alugue um daqueles lindos carros antigos e conversíveis que ficam esperando na porta dos hotéis, ou em pontos centrais de Havana, e dê um “rolé” pra se ambientar na cidade (chuvendo, vai de taxi como Angélica: só é menos romântico…).

 

Melhor meio de transporte para o primeiro passeio por Havana: um de seus maravilhosos carros vintage e de preferência um Cadillac, rabo de peixe "bien sûre"!

Melhor meio de transporte para o primeiro passeio por Havana: um de seus maravilhosos carros vintage e de preferência um Cadillac, rabo de peixe “bien sûre”!

 

Acertada a locomoção, peça pro motorista descer a via costeira, pegar a “QuintaAvenida” (é este o nome, Globo e você, tudo a ver…) e seguir pelo setor dos casarões maravilhosos de antes da Revolução (acho que é a Rua 146 ) que hoje viraram embaixadas, casas de empresas ou de alguns raros felizardos. Fiquei boquiaberta…

 

IMG_8558

Visual do Bosque de Havana!

 

Depois, atravesse o deslumbrante Bosque de Havana e termine o passeio em Havana Velha (contando o trajeto mais as paradas obrigatórias para fotos e cia, esta programação dura 2 horas).
Daí, siga pra conhecer esta parte encantadora da cidade a pé, de preferência com um guia.
Na hora da fome, almoce no La Floridita onde Hemingway e amigos tomavam daiquiri. É lugar de turista, mas afinal o que somos nós? Sente na parte da frente, onde servem uns sanduíches gostosos. O restaurante é vago.

 

Com Hemingway, no bar do La Floridita!

Com Hemingway, no bar do La Floridita!

 

Depois do almoço, perca-se mais um pouquinho por esta parte encantadora da cidade. A cada esquina uma surpresa e, muitas vezes, cantante!

DIA 2: HAVANA
HAVANA VELHA E MUSEUS
Continue passeando pela cidade antiga, é divina! Já que a esta altura está ambientado, siga o roteiro tradicional e visite as 4 praças (Praça Central, Praça das Armas, Praça da Catedral e Praça Velha) que se interligam, formando o Centro histórico.
Percorrido este lindo trajeto, rume para os museus: são poucos, mas dizem muito sobre a cultura local.

 

Com as niñas tendo a linda Catedral de Havana ao fundo... Uma das quatro praças icônicas da cidade!

Com as niñas tendo a linda Catedral de Havana ao fundo… Uma das quatro praças icônicas da cidade!

 

Os que mais gostei:
– Museu da Revolução: apesar de parecer uma coletânea de trabalho colegial, é emocionante ver o passo a passo da revolução de maneira singela, com documentação baseada apenas em muitos recortes de jornal e fotografias. Já que estamos na Ilha…
– Museu de Belas Artes: a parte de arte cubana é simplesmente um show!
– Museu de Artes Decorativas: era a casa de uma senhora da elite pré Castro e continua arrumada (mais ou menos) como ela deixou, tipo Frick Collection local. Dos poucos lugares que retratam a vida na era Batista, em seu apogeu.

 

IMG_8847

Museu de Artes Decorativas

 

– Museu Napoleônico: se tiver tempo e interesse é pitoresco, pois é o segundo maior acervo do mundo sobre o assunto…

 

IMG_8874

Os revolucionários em seu museu…

 

– Roubada master: Museu do rhum.
Quando terminar o estirão cultural, passe na Bodeguita del Medio e tome seu famoso mojito!

DIA 3: COJIMAR
CASA DE HEMINGWAY E ARREDORES.
O escritor norte-americano Ernest Hemingway morou na Ilha por um bom tempo, no final de sua vida, e é uma de suas principais atrações. Depois de passar algum tempo num quarto de hotel, mudou-se para a charmosa “Finca la Vigía”, em San Francisco de Paula, na periferia de Havana. Vale muito a pena visitar a casa, está como se ele tivesse saído pra dar uma volta. Seu jardim é delicioso, peças importantes de sua história permaneceram por lá, até emociona.

 

A linda "Finca la Vigia", reduto de Ernest Hemingway na Ilha!

A linda “Finca la Vigia”, reduto de Ernest Hemingway na Ilha!

 

Na sequência, dê um pulo à vizinha Cojimar e passeie pela via costeira, que é uma graça. Cheia dos barezinhos outrora frequentado pelo escritor, hoje disputam quem tem o melhor acervo de relíquias por ele deixado. Outro detalhe encantador: num rochedo no canto desta praia que “O Velho e o Mar”  foi concebido e é maravilhoso contemplar a fonte de inspiração de um grande mestre… Vai que existe “osmose literária”.

 

A via costeira de Co

A via costeira de Cojimar

 

A seguir, almoce no Café Ajiaco, muito simpático. Tem que reservar pois é lotado.
Voltando, ainda sobra um resto de tarde. Aproveite pra ver o famoso pôr-do-sol cubano do morro de Havana Velha. Espetáculo único.

DIA 4: VALE DEL VIÑALES & PINAR DEL RIO & HAVANA
CHARUTOS & BELEZAS NATURAIS
Inventamos um “Passeio Temático” pra conhecer uma das estrelas do país, os preciosos “habanos”. Achei tão incrível sua história que reservei um post inteirinho pra ele, apesar de não fumar e nem nunca ter-me interessado pelo assunto. Mas os charutos estão para Cuba como o vinho para França e contextualizado, é igualmente fascinante. Por ora, dou somente as informações básicas e me aprofundarei mais adiante.
Voltando ao roteiro, para que este dia renda segundo sua necessidade, saia de Havana às 8 da manhã levando um farnel com sanduíche pra driblar o almoço, hoje não terá tempo.
Seu destino é o Vale del Viñales, a oeste da Ilha e duas horas de distância da capital. Chegando, vá direto às atrações naturais: visão panorâmica do Valle, que é bem pitoresca, e passeio por uma de suas lindas grutas, com direito a navegar pelo Rio São Vicente.

 

As grutas de Vinha del Mar são deslumbrantes!

As grutas de Vale del Viñale são deslumbrantes!

 

Finda a parte “aquática” do passeio, rume para Piñar de Rio, mais precisamente à “Vuelta Abajo” onde fica a “Côte d’Or” dos charutos, pra conhecer uma de suas fincas (nome dado às fazendas cubanas), que produzem a melhor folha de tabaco do mundo. Só aceite se for a “Finca Robaina” ou a “Finca de Monterrey”, em San Juan Martinez. Senão, arrisca-se a ir para alguma propriedade sem nenhum interesse para o turista, como fizeram conosco a princípio. No lugar certo, a visita é inesquecível.

 

Uma plantação do tabaco mais precioso do mundo em Vuelta Abajo!

Uma plantação do tabaco mais precioso do mundo em Vuelta Abajo!

 

Agora que já conheceu como produzem o tabaco mais precioso, volte pra Havana pra dar tempo de vê-lo transformar-se no emblemático Habano. Sem almoço é claro, por isto levou o farnel…
Chegou a hora da visita às famosas e pitorescas fábricas de charuto. As melhores estão na capital, instaladas em centenários casarões, um mundo à parte e fascinante. Dê preferência à Cohiba ou Partagas… Sensacional!
Está cansado? Então feche o dia, em grande estilo, na Casa dos Habanos, onde além de poder experimentar, na hora, o orgulho cubano, existe um sommelier que ensina todo o ritual de como acende-lo e manusiá-lo. Mesmo pra quem não é fumante o programa vale muito a pena!

DIA 5: VARADERO
PRAIA.
Ir à Cuba e não conhecer um de seus famosos “Cayos” (pequenas ilhas que abrigam as praias mais deslumbrantes e repletas de surpresas da natureza local), chega a ser pecado mortal… Cayo Largo ou Cayo Coco são os mais lindos e têm estrutura para turismo. O problema é que pra chegar é a maior mão de obra, o acesso mais fácil é avião pequeno e antigo. Precisa-se de, no mínimo, 3 dias, pra justificar o esforço.
Numa segunda ida à Cuba será prioridade no meu roteiro.

 

Embarcando para um mini cruzeiro pelo nas cercanias de Varadero!

Embarcando para um mini cruzeiro pelo nas cercanias de Varadero!

 

Mas tem um paliativo que, pra quem nunca foi ao país, é uma bela introdução praiana. Chama-se Varadero, o balneário mais bombado de Cuba antes da Revolução. Geograficamente, parece com Angra dos Reis, no litoral fluminense. Trata-se de uma cidade muito feia e destruída pela exploração imobiliária, mas cercada de ilhas lindas. Vale pegar um barco e fazer um passeio por algumas delas. A nossa agência tinha tudo, até uma lancha maravilhosa e tinindo de nova.

 

Uma deslumbrante praia em Cayo Blanco, nas vizinhanças de Varadero.

Uma deslumbrante praia em Cayo Blanco, nas vizinhanças de Varadero.

 

Na volta, almoçamos em Varadero, na ex casa de praia da família Dupont, a mais rica do país até a chegada de Castro. Hoje é um hotel sofisticado e curioso historicamente, pois a casa ficou completamente preservada, como a família a deixou em 1958. São 8 quartos com fila de espera de 2 anos para a hospedagem, mais campo de golf e um bom restaurante. Chama-se Hotel Xanadu e almoçar por lá já é um bom motivo para conhecer o lugar. Fizemos a reserva pelo Hotel Melia e pedimos, previamente, o “menu a la carte”. Bacana de conhecer.

 OBSERVAÇÕES FUNDAMENTAIS:

-A nossa primeira grande surpresa foi quando tivemos uma certa dificuldade pra conseguirmos lugares em avião para a Ilha, com 3 meses de antecedência, principalmente no segundo trecho, Panamá/Havana. O quesito hospedagem, então, foi o maior perrengue. Por enquanto, são 3 milhões de turistas/ano. Quando o embargo estiver efetivamente desfeito, estimam chegar a 4.5 milhões, pelo menos. Digo isto para alerta-lo que esta viagem requer planejamento, senão nada feito.

-Na sequência do parágrafo acima, não conseguimos de modo algum, nos hospedar em Havana Velha. Mas, ao contrário do que nos disseram, faz pouca diferença. O Hotel Melia é ok e tem vista linda para o mar do Caribe. Aconselho a ficar no andar executivo, que funciona com restaurante e concierge exclusivos, o que muda inteiramente a estada.

 

Havana vista do Hotel Melia!

Havana vista do Hotel Melia!

 

-Leve euros, cotação muito melhor para troca que o dolar. Aliás, cartão de crédito não é aceito em muitos lugares (o Amex em nenhum), cash é fundamental!

– Pra sair de Cuba, no embarque da volta, guarde 25 CUCs (moeda local que equivale, mais ou menos, ao euro) por pessoa que estiver viajando. É para pagar um imposto de permanência que é feito na hora do check in, como em Fernão de Noronha. Praticamente impossível fazer câmbio no aeroporto.

-Imprescindïvel usar agência de turismo nesta viagem, se quiser ter uma estada tranquila e conhecer o país como ele merece. Pra começar é praticamente impossível, por enquanto, completar uma ligação daqui apara a Ilha, fora o resto. Usamos nossos agentes queridos Alice e Bob Medici, como contei no começo. Eles têm os melhores contatos por lá e realizaram todos os nossos sonhos cubanos.

– A temporada ideal pra conhecer o país é de novembro a abril. À partir daí e na sequência, vem calorão, chuvarada e a temida fase dos ciclones.

– Fomos, em março último, justamente no final do inverno local e, em tese, o clima era pra ser ameno nesta época. Só que entrou uma frente fria vinda dos EUA, a mesma que congelou NYC, e só não morremos de frio porque nossas filhas viajaram no dia seguinte com os devidos casacos que salvaram a pátria. Vi um casal de brasileiros abortar a viagem no meio, por por falta de agasalhos.

. Mais uma peculiaridade, não há nenhum tipo de loja de roupas. Pelo menos que tivéssemos notícia. Portanto, aconselho a levar algo quentinho, por precaução.

– Três programas obrigatório, na divertida noite de Havana:
. Happy hour no emblemático Hotel Nacional, o Copacabana Palace local, com instalações lindas apesar da decadência, jardins deslumbrantes e toda uma história em seus domínios;

 

Eis o Hotel Nacional de Cuba: um must go!

Eis o Hotel Nacional de Cuba: um must go!

 

. Ir a um espetáculo do maravilhoso Ballet Nacional de Cuba. Vimos um “Lago dos Cisnes” de tirar o chapéu e aplaudir de pé!!!

 

IMG_9558

Apresentação do Ballet Nacional de Cuba: um dos mais lindos “Lago dos Cisnes”que já vi!

 

. Fundamental reservar uma noite para ir a um dos divinos “night clubs” locais. Tipo túnel do tempo, têm música ao vivo de primeira e um ambiente pra lá de vintage. A-do-ra-mos o “El Gato Tuerto”.

. CLIQUE AQUI para o post sobre os restaurantes.

 

"El Gato Tuerto"... Tem que ir e se tiver fila, enfrente-a, é imperdível!!!

“El Gato Tuerto”… Tem que ir e se tiver fila, enfrente-a, é imperdível!!!

 

Antes de ir, gostaria de registrar o mais importante, Cuba é uma grata surpresa. Apesar de todos os percalços, nos surpreendemos ao encontrar um país pobre mas não miserável, habitado por um povo encantador, educado e, sobretudo, orgulhoso de sua origem. Mas ficamos pesarosos ao ver pessoas preparadas exercendo profissões aquém de suas possibilidades, para sobreviver: nosso guia tinha 2 doutorados e quase todos os funcionários de restaurantes, escolaridade superior, por exemplo.

 

Passeando pela Quinta Avenida de Havana com nosso maravilhoso guia Danilo Gómes... Amigos para sempre!

Passeando pela Quinta Avenida de Havana com nosso maravilhoso guia Danilo Gómes… Amigos para sempre!

 

Andamos bastante e em momento algum nos sentimos inseguros. Como na Sicília, a ilha é cortado por uma auto estrada única e bem conservada que leva os interessados a seus confins, de leste a oeste. Seu território não é grande mas bem diverso, por isso em cada parada uma novidade te espera.
Como, efetivamente, o turismo recomeçou muito lentamente, somente há 10 anos e da estaca zero, ainda é precária a locomoção e, sobretudo, a comunicação. Internet é uma dádiva dos céus, concedida só em hotel mega e por período de tempo irrisório. Na TV, dois canais cubanos e um Colombiano fazem a programação. Livraria só com publicações vintage sobre Fidel, Che e cia.

 

IMG_8631

“Livraria” em Havana ou samba de uma nota só!

 

Em compensação Havana é uma cidade alegríssima, de super astral, restaurantes surpreendentes, instalados em lugares lindos e música por toda parte. Espero que a redentora abertura lhes devolva a sacrossanta liberdade mas que não leve a identidade pois a globalização ainda não bateu na porta de Cuba,

 

Em Havana a música está por toda parte!

Em Havana a música está por toda parte!

 

Pra quem, guerreiramente, chegou até aqui agradeço a companhia e peço que me desculpe o tempo tomado, mas gostei tanto de tudo que vi na Ilha mais famosa do mundo, que me empolguei… Vai que te convenci! BN

 

Fiquem com o famoso bar do Bodeguita del Mejo e seu emblemático mojito... Cheersss!!!

Em Havana a música está por toda parte!

 

CONTATO ALICE E BOB MEDICI:
+55 21 99763 8535

 

Uma amiga queridíssima da vida toda fez aniversário!

Cercada dos filhos, da familia e das amigas, comemorou essa data tão especial de 40’s forever!

Eu que pouco saio, fui, e sem cerimonia ( amizade da vida toda dá nisso, disse: vou fotografar tudo!!), mandei brasa e tirei fotos variadas da casa, da mesa, da decoração, e dos looks! Happy hour divertidíssimo e pra lá de caprichado!

Olhem só!

AC

Detalhes

 

Sala da familia

Arranjo da mesa

 

Engorda só de olhar!!! CUIDADO!

 

Mesa de doces, Vik Muniz atrás e sopeiras Cia das Indias espetaculares!!

 

Azulejos? Nada disso!! Talento de Kika Vianna, tudo pintado à mão! E a jabuticabeira lotada?? Só no Leblon!!!

Detalhe! Ninguém acredita se não ver ao vivo!!!

Sopeiras lindas na sala de jantar!

 

 

 

 

Detalhe de uma luminária de Lalla Bortolini

 

 

 

 

Canudinho de doce de leite??? Meu sangue mineiro fala mais forte! AMO!!!!

 

 

No quarto da dona da casa, sua coisas prediletas todas juntas!

Lustre revestido de palha e cúpulas em tecido ( era de ferro preto e amei esta idéia de torná-lo mais leve com a palha, ficou muito chic!)

 

E o closet??? Ela não me deixou fotografar tudo, disse que estava a maior bagunça, mas as bolsas… rsrsrs! Todas organizadas por um tag com fotos!!! Nunca vi tamanha ordem!

Olhem só!

 

Cada uma com sua foto… Quem me déra…

 

Sala da piscina

 

Closet do marido:

 

 

 

Looks das convidadas:

 

Gloria Severiano Ribeiro e seus muitos filhos em forma de amor, da AGNUS DEI

 

 

Bebel Niemeyer, minha amada sócia e comadre:

 

 

Cecilia d ‘Orey Veiga, cara de 18, alma de 18 e 40 Forever no documento, de MIXED

Bolo:

Regina Rodrigues

Doces:

Fabiana d ‘Angelo

Raphaella Severiano Ribeiro

 

AC

 

 

IMG-20160111-WA0018

Manoel Thomaz  e Erwan Enten 

 

Manoel há anos passa esta época fora do Brasil, e este ano resolveu dar duas aulas extras e extraordinárias sobre psicanálise, abaixo ele explica o conteúdo das aulas:

“Para personalizar com marca profissional esta nova fase, vou lançar um curso original de Psicanálise e Coaching. Convidei um francês especialista em Coach com formação em Paris e Londres que dividirá as aulas comigo.Ele fala bem português.
No curso vou abordar sobre o nosso relógio biógico e as maneiras que temos para acelerar o metabolismo para criar a queima colórica maior.
Modos de estimular os neurohormônios e naturalmente a serotonina e a endorfina.
O Erwan Vai falar sobre o desenvolvimento pessoal através do Coach e irá ensinar práticas exercício para a segurança pessoal.Trabalho que ele desenvolve sobretudo em Londres.”

Acho que estas aulas serão imperdíveis e não faltarei de jeito nenhum!

MP

Captura de Tela 2016-01-12 às 7.04.55 PM

Todas as informações estão no convite acima. 

Dias 19 e 26 de Janeiro as terças feiras das 15 as 17 horas.

Rua Dias Ferreira 190/ térreo – Leblon 

Para mais informações ligue para ( 21) 99963-5751 

 

Os ingredientes: tipos de melões variados, presunto sem fatiar, molho de abacaxi com capim limão e a sua competência!

Os ingredientes: tipos de melões variados, presunto sem fatiar, molho de abacaxi com capim limão e a sua competência!

 

Os portugueses usam a expressão “pequeno almoço”, para a primeira refeição do dia, ou o nosso café da manhã. É uma pena, pois ela é perfeita para uma outra circunstância alimentar: aquele almoço frugal, que gostamos de fazer, durante a semana, quando estamos só. E, principalmente, se a temperatura estiver beirando os 40forever, como anda fazendo, ultimamente.

Pois vou dar uma receita que se enquadra, como uma luva, no parágrafo acima e também serve como entrada, num almoço de verão: é a antiga dupla melão com presunto, repaginada!

INGREDIENTES:
(Para seis pessoas)
-De três a quatro tipos de melão (cores variadas e não muito grandes), pois fica mais gostoso e dá um colorido bacana;
-Um pedaço de meio quilo de presunto, da sua preferência, sem fatiar (eu amo substitui-lo por peito de perú light. Aí, temos que pedir para o vendedor tirar aquela casca que o envolve, porque fazê-lo em casa, é uma função!);
-Molho pronto, de abacaxi com capim limão “cambojano”, da Worls Foods, à venda no Zona Sul (Obs: prefiro, de mil, um molho “home-made”, mas se não tiver tu, vai com tu mesmo..).

PREPARO:
Corte os melões ao meio, no sentido horizontal, e vá fazendo bolinhas com as suas polpas, com aquele “aparelhinho” da foto, que é próprio pra esta função. Reservar as “bandas” de melão que sobraram, para fazer “potiches” com elas.
Faça as mesmas bolinhas, com o presunto ou o peito de perú.
Misture, em uma tigela, todas as bolinhas dos melões mais as do presunto. Tempere tudo com o “molho cambojano” pronto, ou o feito em casa, que dou a receita abaixo.
Servir dentro das “bandas” de melão que foram reservadas. Fica chiquérrimo elas não serem iguais, nem em gênero e nem em espécie, dá a maior vida à mesa!

MOLHO CASEIRO:

INGREDIENTES:
-250 gramas de abacaxi, cortado em pedaço,
-2 colheres de sopa de gengibre ralado,
-1 colher de chá de raspa de limão,
-1 cebola média,
-1 dente de alho,
-2 talos de aipo,
-1 caldo de carne Knoor,
-1 xícara de leite de coco,
-3 colheres de açucar.

PREPARO:
Junte todos os ingredientes e deixe-os cozinhar, por 15 minutos, em fogo brando. Tire do fogo e bata no liquidificador. Passe na peneira fina. Volte para o fogo e deixe abrir fervura e está pronto. Quando esfriar e misturar às mil e umas bolas.

Faz e depois me conta, aqui em casa é o maior su… A relação trabalho/benefício é 10, nota10! BN

 

Relançamento do nosso velho conhecido melão com presunto: tudo que é vintage, neste BLOG, é também super bem vindo!

Relançamento do nosso velho conhecido melão com presunto: tudo que é vintage, neste BLOG, é também super bem vindo!

 

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...