SALZBURG: BLIND DATE ABENÇOADO!

BN com a linda Salzburg ao fundo!

Meu “blind date” com Salzburg acabou em casamento, juras de amor eterno e uma vontade louca de voltar!

Um carregamento do “ouro rosado” , o SAL de Salzburg!

“Reino do Sal” no coração da Europa, de onde tirou seu sustento e pontificou como cidade-estado por séculos, Salzburg parece saída de um conto de fadas. Sem ponte levadiça mas com um entorno feérico de montanhas mágicas, que separam o céu mais azul do verde vivíssimo que a deslumbrante vegetação de bosques e relva imprime em seu sopé, os dias de verão, por lá, são de tirar o fôlego. Assim, até nós forasteiros, sentimos um certo “orgulho-cívico” por pertencermos, mesmo provisoriamente, àquela atmosfera única e inesquecível.

Olhem que visual!

É uma delícia flanar pela cidade de Mozart, suas ruelas interligadas por passagens quase secretas, aonde nos perdemos para reencontrar nosso rumo em outra praça linda e igualmente florida, com as jardineiras mais bem servidas que já vi na vida: as fachadas das casas austríacas são um show à parte. Portanto, a primeira providência turística é deixar a vida te levar, pelo labirinto de Salzburg!

Fachada linda e florida de uma praça em Salzburg!

Outro recanto delicioso…

A casa em que Mozart nasceu…

Território urbano conhecido e reconhecido, aconselho passear pelas redondezas que vão da lindíssima Baviera ao romântico Tirol. Repleto de atrações naturais, geográficas e históricas, o ponto alto do seu passeio vai ser mesmo a beleza da região, com milhares de rios e lagos límpidos e cristalinos, escondidos a cada curva do caminho, um abastecendo o outro numa simbiose aquática impressionante. Mais a bucólica cadeia alpina, definindo o céu com delicadeza, bosques e campos de flores silvestres de todas as cores, tudo isto somado invadindo, sem pedir licença, nossos incrédulos olhos.

Me senti no topo do mundo…

Olhem que espetáculo este “quase canion”, na Baviera: fizemos um lindo passeio de barco aí!

Única queixa, para a defesa do consumidor: a famosa Edelweiss, flor símbolo da Áustria, diferente do que nos cantou o capitão Von Trapp, é uma verdadeira prima donna e se esconde como ninguém…

Olhem bem pra esta preciosidade… figurinha difícil por lá!

Mas tudo isto é moldura pro que me levou à cidade: o Festival Anual de Verão de Salzburg, aonde por cinco semanas temos o privilégio de ver e ouvir o que há de melhor na música clássica e ópera. As grandes orquestras, os melhores solistas, os cantores do momento, apresentando-se dentro e fora dos palcos, pois a cada esquina esbarra-se com algum ídolo musical, ao vivo e a cores!

Cartaz do Festival de Salzburg!

Eis o maravilhoso pianista András Schiff , depois de um concerto no Grobes Festspielhaus.

Apresentação emocionante de uma versão modernésima da “Flauta Mágica”, do salzburguense Mozart, numa sala encravada na pedreira cujos arcos, ao fundo, são do século XVII!

A elegância da platéia é um capítulo à parte, por lá todos capricham à sua maneira: amei ver as lindíssimas austríacas, com suas roupas típicas, versão dia de festa. As estrangeiras, alinhadérrimas, também enfeitam o ambiente, sempre apropriadamente vestidas: é uma curtição vê-las desfilar seus lindos vestidos black tie, quando o espetáculo é à noite. Mas quem não aderir, nenhum problema, em Salzburg o que vale é sermos felizes e nos sentirmos bem!

Durante o intervalo dos concertos, as portas dos teatros são abertas e alguns bares montados do lado de fora, para drinks… super agradável!

A noite salzburguense é alegríssima, os restaurantes fervem, especialmente os situados nas cercanias dos teatros. Lá, artistas misturam-se aos clientes, depois de suas performances: uma satisfação para os olhos, uma festa pra o espírito.

Os queridíssimos Rafael Fonseca e Claudia Nogarotto, responsáveis por nossa maravilhosa viagem!

Não posso terminar meu relato sem mencionar o privilégio que tive em viajar com o Professor Rafael Fonseca. Especialista em história da música clássica, ele e sua empresa de acontecimentos culturais, a VIRA, organizou toda nossa viagem, escolheu os espetáculos que vimos, a dedo, conseguindo lugares esplêndidos. E o melhor, antes de cada um deles, fazia palestra para já chegarmos ambientados. Luxo total! BN

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

14 ideias sobre “SALZBURG: BLIND DATE ABENÇOADO!

  1. a Austria inteira é belissima , parece que estamos mais pertinho do céu , ver suas fotos é um colirio para os olhos ,obrigado por nos proporcionar isto abç leila

  2. Que post magnífico!!
    Adorei quando estive em Salzburg!!Que cidade charmosa!!E vc além de tudo
    teve o privilegio de assistir a melhor de todas as apresentaçōes de orquestras!
    Isso foi mesmo um luxo!!mil bjs Ana Paula

  3. Bebel querida, A Austria, é linda, Salzburg entao nem se fala! A Edelweiss, no entanto, é uma flor das montanhas e na neve.. E já que vc foi no verão, de fato uma
    missao impossível
    encontra-la com
    facilidade , a nao ser nos
    souvenirs..(“edelweiss.. small and white , clean and bright , you look happy to meet me.. Blossom of snow may you bloom
    and grow ..bloom and grow forever..”, ja nos ensinava o Capitao Von Trapp , no filme
    que devo ter visto no minimo
    25 vezes alem
    de outras 5 no teatro!) bjs e adorei o post!!

    • Oi Cristiana querida, “bloom and grow forever”… como o nosso BLOG e Edelweiss… A Áustria é linda mesmo e totalmente diferente, em seu próprio território: já tinha ido à Viena, mas é outro papo apesar de também maravilhosa. Bjs carinhosos e muito obrigada por nos visitar! BN

  4. Nossa, que deslumbre!!!!!!! Estive em Salzburgo no inverno da década de 90 mas esse seu post me deixou animadíssima para voltar nessa época, principalmente durante esse festival. Que privilégio! Obrigada por nos proporcionar essas dicas tão valiosas! Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *