Um sonho de amor

“Io sono l’amore” é como Athena, cuspido de uma cabeça, no caso a do cineasta Luca Guadagnino, e mantém seu ritmo racional e estudado até o fim. Resultado: Ele não te arrebata!

Nada no filme me pareceu espontâneo: Figurinos, cenário, trilha sonora e a escolha da atriz Tilda Swinton pra protagonista, reforçam o clima de uma fria e contida elegância de tal forma, que muitas vezes vemos e ouvimos mais do que sentimos. Senão, o que seriam os trágicos quinze minutos finais, sem a retumbante música de John Adams?!

Chic e muito bem cuidado, com mis-en-scène “quase” perfeito (sim, porque Visconti muso do diretor e meu também, jamais serviria vinho com sopa), Guardignino quer impor um mundo de requinte  que talvez não lhe seja nato. Por isso, a preocupação com a estética rouba muito da naturalidade e um pouco do andamento da trama.

O filme conta a história da paixão de Emma (Tilda Swinton está, simplesmente, maravilhosa!!!), melancólica mulher de um poderoso industrial  da alta burguesia milanesa e Antonio (Edoardo Gabbriellini, nada convincente no papel), talentoso chef de cozinha e amigo do filho de Emma, que com seu encontro  retumbante, mudam tragicamente o rumo do clã Recchi.

“Gattopardo”,”Violência e paixão”, “Rocco e seus irmãos”, Tancredi, Milão, Marisa Berenson (que plástica mais mal feita fizeram na linda atriz!), os di Modrone, Luchino Visconti paira no ar o tempo todo, tornando-se uma espécie de meta artística  a ser alcançada. E isso é muito bom porque o resultado é tão bonito e distinto que da gosto de ver.  Detalhe ufanista: Toda esta beleza é fruto da competência da”Production Designer” carioca, Francesca di Mottola!

E pra acabar, mostro foto da “Ratatouille de camarão”, que mudou a vida de Emma e protagoniza com a atriz, melhor cena do filme!
BN

Clique aqui para ver o trailer

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Uma ideia sobre “Um sonho de amor

  1. “Carissima” Bebel,
    Pra começar, a traduçao correta do título é ” Eu sou Amor”e não, “Sonho de Amor”…. Concordo que o filme não arrebata, mas acho que a intençAo do diretor, que confessamente é inspirado no Mestre Visconti, é dar esta sensaçao de sufocação, de estar contido o tempo todo, pobre EMMA….
    Agora, para os menos ilustrados em culinária, dá pra explicar “sopa com vinho”???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *