Este é um jantar que acontece uma vez por ano em Paris. Dado pela Sociedade dos Amigos do Museu D’ Orsay, é sempre um grande acontecimento pois estas festas estão cada vez mais escassas no mundo em que vivemos.

Tive a sorte de morar em Paris numa época de glória, onde acontecimentos deste quilate eram quase que semanais. Fui a festas na Ópera de Paris organizadas por Marie Helène de Rothschild, jantares black-tie dados em castelos de sonho ou bailes em casas deslumbrantes, que jamais esquecerei. Vou guardar FOREVER  na minha mémoria todos estes lugares encantados.

Os tempos são outros e tudo mudou, mesmo assim ainda restam alguns poucos jantares gloriosos como este, onde todos se encontram como nos velhos tempos… Vejam!

MP

DESCRIÇÃO DO QUADRO DA FOTO ABAIXO, QUE ERA A CAPA DO CONVITE DO JANTAR

 

Segue a lista dos chiquérrimos que convidavam para o jantar…

 

 

 

A linda sala do Museu D “Orsay onde aconteceu o jantar oferecido pela Sociedade dos Amigos do Museu.

O grande paisagista Louis Benech, grande amigo de Louboutin e Bertrand du Vignaud.

Maryll e Bernard Lanvin. Ela desenhou, durante alguns anos, as coleções para a loja Lanvin, que foi de sua sogra.

Duas grandes figuras parisienses: Juan Bestegui, grande colecionador, e a Princesa de Beauvau Craon.

Conde e Condessa Jean de Rohan-Chabot

Conde e Condessa  Jean de Rohan Chabot. Ela é uma grande pintora de copos, louças e móveis maravilhosos. Já expôs no Brasil, em São Paulo, na loja de Jorge Elias.

Este é um casal adorável … Bechara El Khoury é libanês e casado com Alexandra, que tem origem Russa, estão em todas e são muito queridos. Vivem entre Paris e Provence, onde têm uma casa linda!

A linda atriz e modelo portuguesa, Tasha Vasconcelos.

Este casal é super querido, em Paris, são donos da marca SISLEY. Conde e Condessa Hubert D’ Ornano. Ela tem sempre uma maneira super original de se vestir. Reparem a bolsa, os colares e o brinco. É das mulheres mais chics e charmosas de Paris.

A adorável Cristiana Brandolini, irmã do maior advogado da Italia Gianni Agnelli, acompanhada de seu amigo, o grande designer de sapatos e querido por TODAS, Christian Louboutin.

Os amadíssimos Barão e Baronesa Gerard de Waldner. Muito queridos, ela é a mais POPULAR brasileira de Paris: que sorte é minha mãe!

Christian Louboutin com uma amiga. Amei o sapato dele …

Gosto muito deste casal: Principe e Princesa Charles Emmanuel de Bourbom Parme.

Valentino et Doris Brynner.

O querido Valentino e sua best friend, Doris Brynner. Doris foi casada com Yul Brynner, o ator do sensacional filme “O REI e EU”, com o qual ele ganhou o Oscar de melhor ator.

Mathilde Meyer et Victoire de Castellane: ela que desenha as jóias do DIOR

Mathilde Meyer et Victoire de Castellane que desenha as joías do Dior.

A cantora Arielle Dombasle e seu marido o intelectual e escritor super famoso e queridíssimo das parisienses, Bernard Henri Levy.

Philippe Mugnier et Pierre Bergé, o grande parceiro de uma vida de Yves Saint Laurent.

Valentino, Jacqueline de Ribes, a Camem Mayrink Veiga de Paris, e Pierre Bergé. Jacqueline foi sempre um sucesso, assim como a divina e minha querida Carmen, no Brasil e no mundo.

Doris Brynner et Farída Khelfa.

Doris Brynner e Farida Khelfa

Jean-Marie Rouart et Mme Jacqes Chirac.

Jean Marie Rouart, escritor e membro da Academia Francesa de Letras, e Madame Chirac, mulher do ex presidente da França, Jacques Chirac.

Faida Khelfa Atriz e manequim francesa de muito sucesso e super badalada e o maravilhoso decorador Jacques Grange.

Guy Cogeval, Diretor do Museu D “Orsay, Aurie Filippetti e o Conde De Ribes, que é o presidente dos amigos do museu D’ Orsay.

 

 

Dá pra acreditar no visual que é este hotel na floresta da Laponia na Suécia?

O TREE HOTEL, no vilarejo de Harads, no norte da Suécia, oferece unidades diferentes concebidas por diversos arquitetos escandinavos, inclusive um quarto camuflado como um ninho de passarinho gigante, outro que parece um disco voador, um cubo espelhado que, para evitar que os pássaros colidam com ele, tem um ultravioleta transparente laminado entre os vidros que é visível somente para os pássaros, não é o máximo?

Pensado da maneira mais eco-friendly possível, o hotel é de alto luxo, proporcionando todo o conforto para os seus hóspedes.

As cabanas são presas com braçadeiras e cabos, nada de pregos ou parafusos, que podem ser ajustados à medida que as árvores crescem. Os galhos serpenteiam pelos quartos! Achei muito lindo!

Os Quartos:

  • The Bird’s Nest
  • The Mirror cube
  • The UFO
  • The Cabin
  • The Tree Sauna
  • The Blue cone

 

Mas como sou pra lá de urbana, vou esperar um de voces ir pra me contar que tal é… Brincar de Jane e Tarzan, só na tela da TV!

AC

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Que tal uma sauna?

 

www.treehotel.se

 

 

AC

Os craques Antonio Dias e Vanda Klabin se encontram numa linda exposição, relatada abaixo pra vocês!

Hoje temos o privilégio e a honra de receber, de novo, a queridíssima Vanda Klabin, embaixatriz do BLOG no mundo das artes, pra nos contar novidades deste reino mais que encantado.

Para o meu particular deleite, e espero que pro de vocês também, o star da vez é um dos artistas brasileiros contemporâneos mais importantes, o “one and only” Antonio Dias. Vanda conta sobre a linda exposição de Dias, da qual ela foi curadora, que está na Galeria Athena Contemporânea, no Rio, até o final de outubro.

Imprimindo fotos sobre tela, a partir de originais de polaroide, o artista fez intervenções sobre a superfície das fotos impressas enquanto as revelava, no final dos anos 1980. Depois, digitalizou e o que veremos é o resultaldo, impactante, deste processo complicado e que me foi explicado pela comtetente Vanda. Leiam, vejam e curtam! BN 

VANDA KLABIN:
” A obra de Antonio Dias, vasta e complexa, se desenvolve  em um território de significações ambíguas, muitas vezes irônicas, repletas de inúmeras questões que permeiam os conceitos fundamentais do território plástico. Ao longo de décadas, ele trabalha com diversas linguagens artísticas, diferentes materiais e universos heterogêneos, em um ritmo  flexível e intenso de expansão e experimentações: pinturas, gravuras, obras sobre papel, discos, desenhos, objetos, fotografia, cinema, videos e instalações sonoras.

Residiu em diversas cidades e  estabeleceu diferentes ateliês, alguns permanentes, como no Rio de Janeiro, Milão, Paris e Colônia e outros transitórios, como no Nepal, Recife, Nova York e Berlim. Nesses deslocamentos constantes, estabeleceu pontos de contato com a produção local e a internacional e trouxe sempre à tona uma constelação de informações e referências dentro das quais sua obra  se movimenta, sempre impulsionada  pela necessidade irrequieta de explorar novos caminhos na sua produção.

A fotografia  passou a integrar a sua obra como um elemento substantivo, adquiriu uma potencialidade, um vocabulário e um universo próprio, dentro do seu trabalho. Nesses trabalhos percebemos  a reunião de dois recursos estéticos independentes: a captura do real, através de uma  câmera polaroide, e a transferência para a tela, onde são estabelecidas equivalências poéticas através desse quase olhar da câmera, na passagem para a tela.

Nessa fronteira entre a pintura e a fotografia, a série de polaroides permite uma anotação rápida, um registro transitório e requer uma outra frequência que se prolonga ao romper as estruturas que a separam da pintura gestual, criando um mistura de linguagens que alimenta a pulsão do olhar.

A captura  é o primeiro foco de atração:  parecem guardar uma imediaticidade da experiência, reter o singular. Explora a idéia do efêmero como passageiro, transitório. Na iminência de uma dissolução, ganha uma presença permanente. A obra sai da câmera para uma imersão cromática e se consolida em um outro  meios de expressão, originando trabalhos independentes e rematerializados um novo territórios geográfico. Francis Bacon mencionava que, para  ele, as fotografias não são somente ponto de referências, muitas vezes elas são detonadoras de idéias.

Antonio Dias revela uma relação  sensual com a matéria, dando  aos seus trabalhos uma espessura significativa  e um contorno  impreciso e ambíguo, elementos que estão sempre presentes e que são os componentes constitutivos  da sua poética: o lugar da arte e do artista, as associações entre texto e imagem, o uso da ironia como linguagem, as formas geométricas, as discussões sobre política, poder, sexo e  sedução.

Nas suas palavras: “Todo trabalho deve ser inteligente, mas é importante, ao mesmo tempo, colapsar o entendimento. Todo trabalho bom, realmente inventivo, vai contra a lógica e a razão”. Antonio Dias, jornal O Globo,10 setembro de 1985.” VANDA KLBIN

OBS: Todas as fotos postadas são da exposição e têm a autoria de Eduardo Masini!

VANDA MANGIA KLABIN
Tel   +55 (21) 2267-2662
Cel   +55 (21) 9986.9256
vklabin@terra.com.br

FICHA TÉCNICA:
GALERIA ATHENA CONTEMPORÂNEA:
Avenida Atlântica, 4240, lj 211 Copacabana, RJ

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...