Orquídeas: forever!

Sabe aquela linda orquídea que enfeitou sua sala, brilhantemente, por um bom tempo e que, tadinha, está à beira da lixeira, simplesmente, porque envelheceu? Pois estava… A queridíssima amiga Cristina Setembrino, grande entendedora e referência no cultivo de orquídeas, no Rio de Janeiro, volta ao Blog para nos ensinar a replanta-la numa árvore pertinho de você, e incorpora-la ao seu patrimônio de super belezas! BN

“Como plantar Phalaenopsis nas árvores ?

 Quando se planta uma Phalaenopsis em um vaso, como já disse anteriormente (aqui), suas raízes são colocadas para dentro do vaso e as folhas, assim, ficam na posição horizontal.

Porém, quando são amarradas em árvores, elas devem ser colocadas da maneira como elas ficam na natureza, ou seja, de lado, como se verifica na fotografia abaixo:

Nessa posição a água da chuva escorre pelo tronco da árvore molhando as raízes e a água que cai nas folhas automaticamente por elas escorre, não ficando acúmulos na coroa central (causa de apodrecimento da planta).

As hastes florais, assim, nascerão inclinadas para baixo, possibilitando serem vistas por quem olha do chão para cima.

A parte posterior das pétalas das flores passa a funcionar como um guarda chuva, fazendo com que a água escorra pela sua parte traseira sem molhar a parte interior das flores, que é a mais sensível e bonita, deixando que elas durem por meses.

Dessa rápida explicação dá para notar que a colocação dos vasos amarrados nas árvores, na mesma posição (vertical) como se estivesse em cima de uma mesa, é um procedimento bastante errado e contraproducente para o desenvolvimento da planta.

Se a planta for forte e vigorosa ela não vai morrer, mas gastará cerca de 2 anos fazendo uma manobra de contorção, para sair da posição da fotografia 2 e passar para a posição da fotografia 3, antes de, nesse meio tempo, apodrecer e morrer.

A melhor maneira de amarrá-las na árvore é utilizando um fitilho transparente, pois ele resseca e se desfaz ao mesmo tempo em que as raízes da planta crescem e se fixam no tronco da árvore.

A rega fica por conta da natureza! Preocupe-se, apenas, em molhá-las (jogando água no tronco da árvore,  acima do local das plantas, para que ela escorra pelo tronco) apenas em casos de prolongada falta de chuva.” Cristina Setembrino!

 

 

Uma das lindas Phalaenopsis da coleção de Cristina!

 

O Blog convidou a amiga queridíssima Cristina Setembrino, que junto com o marido e grande advogado Fernando, têm um dos mais premiados orquidários do estado do RJ, para do alto de sua experiência no cuidado com a sofisticada flor nos contar, em capítulos, pequenos detalhes que vão fazer a diferença na criação e preservação das mesmas. Frequento sua casa, semanalmente, por conta de uma maravilhosa aula de história: não foram poucas as vezes que me maravilhei com um exemplar de sua coleção! Começemos, então, com os cuidados com as “Phalaenopsis”! BN

“A orquídea que você comprou para enfeitar sua casa ou que você ganhou de presente, enquanto estiver com flor você sabe que basta ir regando, sem encharcá-la, deixando a água escorrer , sempre que o substrato estiver seco, e ela ficará perfeita.

Mas, e quando as flores estiverem murchas?  O que fazer? Ela não precisa virar lixo! Elas irão crescer, florir e ficar lindas de novo na sua casa, cuidadas por você e, o mais importante, sem te dar trabalho

Basta você ter uma varanda, uma área, um cantinho qualquer, ou seja, um local claro, arejado, que não seja muito quente e que o sol não bata diretamente na planta, para não queimar suas folhas.

Algumas dicas:

As Phalaenopsis gostam de certa umidade, mas detestam excesso de água, daí a drenagem do vaso deve ser muito boa para que após a rega o excesso de água escoe totalmente. Pode-se regar com mangueira, regador, direto na torneira de uma pia, sempre evitando que fique água empoçada na coroa da planta. Deve-se molhar o substrato por inteiro. Em outras palavras: quando molhar, molhe mesmo. Jamais use pratos por baixo do vaso.

Os vasos transparentes facilitam a verificação do grau de secagem. Nos demais vasos, a colocação do seu dedo indicador, no substrato, também é forma de checagem: Na dúvida, deixe para regar no dia seguinte!

Importante: Não encoste o dedo nas pontas das raízes, pois isso abortará seu crescimento.

As Phalaenopsis têm raízes que ficam dentro do vaso e raízes aéreas, que não devem ser cortadas, nem forçadas em direção ao interior do vaso. Deixe-as à vontade. Quando quebram elas rebrotam em bifurcações, como rabo cortado de lagartixa.

A circulação do ar é vital, quer para a secagem do substrato, quer para a respiração das folhas.

4 horas de boa claridade são suficientes, ao contrário das Cattleyas que necessitam de mais tempo. A cor das folhas é um indicativo da adequada iluminação. Se verde oliva médio, tudo OK. Se amarelas, estão recebendo muita claridade. Se verde escuro, pouca claridade.

Não se esqueçam que elas têm que comer: Em casa é melhor usar adubos químicos, pois não deixam cheiro. Todos são muitos parecidos. Escolha qualquer um dos indicados para orquídeas e adube uma vez por mês, usando a dosagem indicada pelo fabricante na própria embalagem. De 2 em 2 meses use um inseticida, de preferência natural, à base de “citronella” por exemplo, para combater ácaros, pulgões, cochonilhas, etc.

Elas certamente vão florir 2 vezes por ano e suas flores costumam durar em média 90 dias.

Aqui em casa tem uma, linda, que está com 16 flores grandes há mais de 120 dias!!!”
Cristina Setembrino

Vejam como surte efeito os preciosos conselhos da nossa “consultora”! BN

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...