FullSizeRender

 

Sigo a carreira de Marcelo Bratke há mais de 25 anos, um dos maiores pianistas brasileiros do nosso século, e pedi uma entrevista exclusiva para o 40 FOREVER, onde ele nos conta um pouco de sua vida.

Marcelo foi aclamado pelo jornal New York Times por sua interpretação de Villa Lobos no Carnegie Hall e tem se apresentado nas mais prestigiadas salas de concerto do mundo, como a Queen Elizabeth, em Londres, a Konzerthaus, em Berlim, no festival de Salzburg ou no Suntory Hall, em Tóquio.

Seu CD dedicado ao “Le Groupe des Six”, de Jean Cocteau, foi considerado pela revista britânica Gramophone como uma das melhores gravações eruditas de todos os tempos.

Marcelo é um grande motivo de orgulho para o nosso país. Dia 1 de Dezembro ele fará uma apresentação única em São Paulo, no Espaço Pronon, com o espetáculo : “O Convite à Viagem ” ( L’Invitation au Voyage ), inspirado no poema de Charles Baudelaire. Aproveitei este momento para entrevistá-lo.

 

FullSizeRender

 

Trechos de Marcelo tocando.

 

 

Aqui com tocando com a cantora Sandy

 

MP – Como se sente tocando no Brasil?
MB-Adoro tocar no Brasil! Não somente no circuito das grandes salas de concerto, como a Sala São Paulo e o Theatro Municipal do Rio de Janeiro, onde toco freqüentemente, mas também em cidades que nunca recebem projetos culturais. Tenho ido muito à região amazônica. Estados do Amazonas e Pará. Além dos dois grandes teatros, como o Teatro Amazonas, em Manaus, e o Teatro da Paz, em Belém, tenho realizado concertos em lugares isolados, como Canaã dos Carajás, Parauapebas e Marabá. Em 2016 farei uma grande turnê por pequenas cidades do Estado de São Paulo, onde o público delira com os concertos.
MP- Qual a sala de concerto que você mais gosta de tocar? Porque?
MB-O Carnegie Hall, em Nova York. Quando eu estudava na Julliard School of Music me lembro que passava em frente ao Carnegie Hall e pensava (inseguro) comigo mesmo: acho que neste palco nunca vou tocar ! O Carnegie Hall foi inaugurado por Tchaikovsky! Rubinstein, Horowitz, Toscanini, Karajan, Frank Sinatra, Villa-Lobos, Tom Jobim e João Gilberto passaram por lá. Há uma energia incrível, como em nenhuma outra sala de concerto. Uma acústica perfeita. Toquei diversas vezes no Carnegie Hall, mas a minha estreia foi em 2004. Foi o primeiro concerto que fiz logo após eu ter realizado, em Boston, uma cirurgia oftalmológica que fez com que eu enxergasse o mundo como ele é pela primeira vez, pois nasci com um problema grave de visão. Foi uma profunda emoção entrar naquele palco e conseguir, pela primeira vez, ver os rostos das pessoas que estavam na plateia naquela noite. Nunca me esquecerei!

MP- Me conte um pouco de sua vida artística neste momento…Onde está morando? Com quem você está estudando?
MB-Criei há alguns anos a Camerata Brasil, uma orquestra que profissionaliza jovens que vieram de áreas desprivilegiada da sociedade brasileira. É uma orquestra bem brasileira onde há uma fusão entre músicos eruditos e populares. Realizamos juntos nos últimos 7 anos mais de 300 concertos em 11 países. É um projeto que cresceu muito e que tem sido endossado por importantes instituições nacionais e internacionais como o The New York Times, a BBC de Londres, O Ministério das Relações Exteriores e o British Arts Council, entre outras. Vivo entre Londres e São Paulo desde 1994 com minha esposa que é a artista plástica Mariannita Luzzati.

MP- Foi importante para você sair do Brasil? Porque?
MB-Eu sempre fui meio nômade e desde os 22 anos de idade vivi em vários países. Aprender com outras culturas foi essencial para mim. Sair de um “porto seguro” e ter que articular novos modos de pensar. Não somente pensar a música, mas a vida em geral. Estou sempre aprendendo algo novo e o fato de eu viver em dois lugares tão antagônicos, me faz vivenciar o mundo em sua diversidade.

MP_ Quem foram seus grandes professores?
MB-Minha primeira professora, Zélia Deri, que foi quem colocou literalmente minhas mãos no piano. E o grande mestre: o compositor, maestro e filósofo musical alemão Hans Joaquim Koellreutter.

MP- Quem o artista que vc mais gosta de interpretar?
MB-Heitor Villa-Lobos!

MP- Como se sente sendo considerado um dos maiores pianistas do mundo?
MB-Para mim o importante é poder realizar os meus projetos e ter a liberdade de me colocar novos desafios, sempre! Vejo a música como um instrumento que aproxima as pessoas e as culturas distantes.

MP- Qual suas próximas metas?
MB-Seguir com o projeto Camerata Brasil e o projeto Villa-Lobos Worldwide, um projeto que criei para divulgar a obra de Villa-Lobos no mundo e que inclui várias ações: a gravação de sua obra para piano em 8 CDs com distribuição em 30 países pela gravadora britânica Quartz e pela brasileira Biscoito Fino, concertos no Brasil, Europa, Estados Unidos e Ásia, concertos especiais para crianças de várias partes do mundo, concertos em penitenciárias brasileiras e um programa de rádio que apresento semanalmente na Cultura FM de São Paulo chamado Alma Brasileira.

 

 

Pra terminar, sessão PING PONG:

MP- Quem é seu idolo? Um ou mais?
MB- Woody Allen e Ingmar Bergman.

MP- Qual seu hobby?
MB- Desenhar.

MP- Livro de cabeceira?
MB- As partituras de Villa-Lobos

MP- Cidade preferida?
MB- Istambul (que ainda não conheço!)

MP- Tem planos de tocar no Rio? Quando?
MB- Sempre tenho planos para estar no Rio. No segundo semestre de 2016 farei uma turnê nacional enfocando Villa-Lobos e Tom Jobim que passará por 20 cidades e que incluirá o Rio de Janeiro.

Marcelo, te desejo sempre muito sucesso e obrigada por representar o Brasil de forma tão nobre, mundo afora! MP

 

 

 

Juliana Awada, futura primeira dama argentina, votando no marido Mauricio Macri: linda!

Juliana Awada, futura primeira dama argentina, votando no marido Mauricio Macri: linda!

 

Depois de 8 anos da triste era Cristina Kirchner, a Argentina volta a ter uma primeira dama e, pelo menos nos quesitos beleza e charme, ela arrasa.

 

Adoro este visual!

Adoro este visual… Inteiramente normal!

 

Este também é uma graça!

Este também é uma graça!

 

De ascendência sírio-libanesa, nascida em Buenos Aires e mãe de Valentina (do seu primeiro casamento com o conde belga Bruno Barbier) e Antonia (com Macri), a ariana Juliana Awada com certeza vai dividir o “palco hermano” com o marido, o presidente eleito Mauricio Macri, pois além de simpatia e simplicidade, ela também é linda demais e estilosa na medida, fazendo a linha “boho chic” (tipo não estou nem aí) com todo louvor: adoro!

 

Sempre as cores são básicas e um acessório dá o tom...

Sempre as cores são básicas e um acessório dá o tom…

 

Na medida...

Na medida… (A sandália é a mesma de várias produções como aquela em que ela está sentada, 2 fotos acima. Repete tudo, como qualquer mortal)

 

Mas pudera… Sua família era dona de um império têxtil nos anos 60 e, até hoje, conservam uma prestigiada “label”, a “Awada”, com 13 pontos de venda pelo país e que teve, até bem pouco tempo, a estilista Juliana como sua principal “designer”: ela usa e abusa dos visuais monocromáticos de cores básicas como branco, preto, bege, caramelo, marinho…

 

Muito charmosa!

Muito charmosa!

 

Amo "manteau" com jeans.

Amo “manteau” com jeans.

 

Tomara que o casal presidencial recem-eleito cumpra, com todo esmero, sua missão e coloque o país nos trilhos. Enquanto isso, fiquemos com alguns “looks” da nova “estrela fashion” argentina, saída das urnas domingo passado: Juliana Awada Macri! BN

 

Look festivo: discreto...

Look festivo: discreto mas o coque é tudo!

 

Com o marido, o presidente eleito da Argentina, Mauricio Macri.

Com o marido, o presidente eleito da Argentina, Mauricio Macri: “Sarkozi style”

 

Com o marido, foto 2: indo pra um debate durante a campanha...

Com o marido, foto 2: indo pra um debate durante a campanha…

 

No dia de seu casamento com Macri!

 

Sempre linda, jovem e apropriada.

Moderna… Reparem a falta de brinco e o relógio quebrando a sisudez da roupa.

 

Dia de festa.

Dia de festa.

 

 

IMG_5112

Nossa querida amiga e leitora, Denise Luna, volta e meia nos conta uma super novidade que publicamos aqui. Hoje o assunto é sobre a MESA MODERNA!

AC

 

Por Denise Luna:

“Minhas amigas Sandra Rego e Regina Santos, montaram uma empresa de vanguarda em termos de jogos americanos.
Apesar de estarem há apenas seis meses no mercado, elas já contam com 30 modelos exclusivos, todos criados por Sandra, que é arquiteta.

 

20150609_182100

 

Vejam o que ela me contou:
Nossa proposta é dar a você a possibilidade de ter todos os dias uma mesa linda, criativa e inovadora.
Surpreenda diariamente sua família e seus amigos!!!!!!
Nossos produtos são feitos de papel couché e as estampas são protegidas por uma película protetora impermeável, o que permite a sua reutilização .
Como presentes, nossa linha Mesa Moderna também faz muito sucesso, pois além de lindos nossos produtos vem numa bonita embalagem.

20151026_213739

Com Mesa Moderna você terá charmosas e lindas opções na hora de montar sua mesa, gastando pouco e brilhando sempre!!!!!
A Mesa Moderna promove até o dia 31 de dezembro o Frete Free ( frete por nossa conta para qualquer lugar do Brasil ou do exterior).”

SITE
www.mesamoderna.com

Instagram: mesamoderna

Sandra Rego
Arquiteta e Urbanista
+55 41 9937.9402

20150623_141027 20150623_142004 20150623_143555 20150630_155201 20150703_210606 20151023_152941 20151026_202321 20151026_203336 20151026_203954 20151026_205241 20151026_205819 20151026_210452-1 20151026_210928 20151026_212444  A Pronto - IMG_4775 A Pronto - IMG_4786  IMG_5172 IMG-20151104-WA0013

IMG_4155

Mara Fainziliber e Martha Castilho no Guggenheim de New York

 

Minha querida amiga Martha Castilho, uma expert de New York, pois vai lá há anos e ama, fez para nosso blog, uma listinha de coisas imperdíveis, para uma semana em New York, nesta época do ano.

ARTE E CULTURA .

 

Captura de Tela 2015-11-21 às 4.54.34 PM

Árvore de Natal do Rockefeller center! 

  • Programão imperdível clássico: ballet Quebra nozes no Lincoln Center é um clássico de Natal de lá, tem que  ir. Superprodução, e é a árvore mais linda que já vi na vida!
  • Outros natalinos: ver a árvore do Rockefeller Center  é cheio de turistas, mas não pode deixar de ir, é em frente ao Saks, tem 12 andares de altura. Tem que visitar e depois ir para o Saks comprar jeans pois é a melhor seleção de NY.
  • Patinação no Central Park – dar uma caminhada pelo parque e passar por lá, é muito romântico!

 Maravilhosos e contemporâneos:

  • Exposição do Frank Stella no Whitney Museum – imperdível!

Minha sugestão é fazer uma reserva para almoçar ou jantar no Standard Grill que fica ao lado .O Standard Hotel é o Fasano de New York, hotel jovem e trendy, mas a comida é ótima e descomplicada.
Este museu é novo, acaba de ser inaugurado. Fica ao lado da Highline, que é um viaduto que virou jardim, a nova atração da cidade. É legal juntar os programas, fiz isso e adorei, pois museu cansa um pouco, depois sentar e comer é uma delicia!

 

Captura de Tela 2015-11-21 às 5.29.49 PM

Escultura do Picasso no Moma.

 

  • Exposição das esculturas do Picasso no Moma, vale muito à pena!

DICA: Os  tickets de museu devem ser comprados antes na internet, para evitar filas. 

Restaurantes bons e descomplicados:

Marea ( Central Park South) – perto do Per Se. Italiano de frutos do mar, maravilhoso e casual, não tem q ir arrumado.  E é um 2 estrelas Michelin!

Casa Lever ( Park esq com 52th) – Italiano , é aquele que tem 27 Warhols na parede ( contei!) . Delicia total!  No almoço cheio de executivos, no jantar mais social.

 

Captura de Tela 2015-11-21 às 5.27.43 PM

Casa lever com seus Andy Warhol.

 

Cipriani ( 5a com 59th) – igual aos outros, mas o de lá é super animado

Zuma- Um japonês contemporâneo de Londres que abriu em NY. Delicia total!

Milo’s – grego de peixes ótimo.

Le Bernardin– mais formal, é dos poderosos, mas é uma maravilha, vale a pena

Ilily- 5a ente 28th e 29th – o melhor libanês que comi na vida, mas ao contrário de todos, é trendy, enorme e cheio de jovens. No almoço é mais tranquilo e é imperdível!

Gramercy Tavern – Americano delicia total!

Para almoços FOREVER.

Bilboquet – 60th entre Madison e Park – bistrot francês super animado.
Amaranth – 62th entre Madison e 5a – adoro, italiano, informal, rápido e gostoso!

Nello– Italiano e nesta época tem trufas divinas no almoço.

Restaurante novo do Ralph Lauren  ( 55 th 212) .

 

Captura de Tela 2015-11-21 às 5.19.42 PM

Restaurante do Ralph Lauren.

 

O turkish room do Hotel Carlyle, para um steak tartare ou blinis com caviar, tipo 5 da tarde, parece que você está na Europa, é um deleite total!
Os Kennedy só se hospedavam lá, é tradicional NYC. O bar é tido como o melhor de NY, junto com o do The Mark, que fica do outro lado da rua.

 

Captura de Tela 2015-11-21 às 5.52.48 PM

O animadissimo bar do Carlyle onde Woody Allen costuma tocar nas segundas feiras! 

 

O restaurante do The Mark tb é otimo, quem cuida da cozinha é um tal de Jean Georges, famoso por lá.

O thanksgiving, que é quase um Natal para eles, todos ceiam peru.
Um bom lugar é o Café Boulud, que é sempre super in!

Nem discuto com as dicas da minha querida amiga pois sempre são as melhores ! Esta lista está um espetáculo é para imprimir já! !

MP

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...