Nem "Seu Dirceu Borboleta" entendia delas tão bem...

Quem me falou de Alexandre Mazza, com a veemência da boa amizade, foi a tinturista das stars, Branca di Lorenzo, minha queridíssima, e dona de uma sinceridade suave, porém cirúrgica: nunca a vi desperdiçar, sequer uma vírgula, no que não merece crédito. Resolvi que deveria ir conhecer seu artista plástico preferido, o quanto antes!

Só que a véspera do carnaval e uma viagem, adiaram meu encontro com uma nova paixão: a linda obra de um artesão delicado, moderno e tecnológico, que mistura a romântica borboleta com luz de neon e todos ficam mais incríveis, se é que isto é possível. Quer um conselho? vá conferir, como eu fui, pessoalmente, na Galeria Luciana Caravello Arte Contemporânea, a lindíssima exposição de Mazza, porque nenhuma fotografia fará jus ao que você vai encontrar por lá.

Como não sou do ramo, pedi à quem entende do riscado e é também galerista de Alexandre Mazza, para falar pro BLOG sobre sua obra, a queridíssima Luciana Caravello! BN

“No começo de fevereiro, abri a Mostra deste artista que  adoro expor, o Alexandre Mazza. Ele tem um trabalho muito interessante, pois mexe com luzes e tecnologia e o resultado é, simplesmente, mágico! O que mais gosto no trabalho do dele é o acabamento impecável e a sua preocupação, especial, na utilização de bons materiais. O que reflete e interfere muito, no resultado final. Como a exposição começou no dia de Iemanjá e, como uma espécie de homenagem, ele resolveu usar só as cores azulprata e branco.

Em todas as feiras que participei levei as obras do Alexandre e abafei, vendendo todas. Na ARTRIO, também foi SOLD OUT!!!! Ele já está em coleções importantes como a da Senhora Milu VilellaLuiz Antonio Almeida Braga,Gilberto Chateubriand,  Maria Cristina Burlamáqui, e no acervo do recém aberto fundo de arte, BGA. Acho que é uma bela aposta para quem está pensando em começar a comprar.” LUCIANA CARAVELLO.

Galerie Luciana Caravello Arte Contemporânea
Rua Barão de Jaguaripe, 387, Ipanema.

BN sentada, regiamente, na linda poltrona dos irmãos Campana de bichos de pelúcia que está exposta, com muitas outras da dupla, na mesma galeria. MP fez um lindo post sobre o assunto!

CLIQUE AQUI PARA POST DOS IRMÃOS CAMPANA!

 

A fachada da Fundação, anunciando a restrospectiva! Notem que, ao lado, está nosso "Abaporu", e da Tarsila do Amaral também! BN

A fachada da Fundação Costantini, com uma deslumbrante escultura de Cruz-Diez pra te receber! BN

Visão interior do lindíssimo museu! BN

Carlos Cruz-Diez provando do próprio "veneno": imerso em uma das suas "salas de cor"! Que visual! BN

Nossa querida colaboradora Vanda Klabin, que vem abrilhantando nosso Blog com posts bárbaros, nos manda notícias de uma nova e incrível exposição, desta vez do artista plástico Carlos Cruz-Diez, “El color en el espacio y en el tiempo”, que acontece no lindo museu da Fundação Costantini, em Buenos Aires. Com um detalhe sensacional: como membro do ICOM, que é o Conselho Internacional de Museus, ela teve a especialíssima autorização para fotografar a mostra. Só que o catálogo ainda não ficou pronto, portanto, suas fotos são inéditas e o 40forever as publica, em primeiríssima mão! Curtam! BN

 “Quiero que mi trabajo estimule el mesmo tipo de placer que produce una pintura, pero sin haber sido pintado”.

Carlos Cruz-Diez

A exposição retrospectiva  do artista venezuelano  Cruz -Diez , em cartaz  no Museu Malba, Fundación Costantini, Buenos Aires,  apresenta os trabalhos realizados ao longo de sessenta anos de sua produção artística,  com seus experimentos extraordinários  a respeito da natureza instável e ambígua da cor. As suas variações cromáticas  trazem  como resultado, um diálogo frutífero entre arte, ciência e  tecnologia.

A cor, um  “organismo viviente” e sempre tratada com um elemento autônomo, é o eixo principal para o entendimento de sua obra.

Nascido na Venezuela, em 1923,  Cruz-Diez estudou na Escola de Belas Artes em Caracas , onde  passa a ser professor. Em 1955 , por ocasião de  sua visita à exposição “Le Mouvement”, na Galeria Denise Renée, em Paris –  que teve a participação de artistas como Alexander Calder, Jesùs Rafael Soto, Marcel Duchamp, Victor Vasarely, entre outros, passa a se interessar pela Arte Cinética, que privilegia  a inserção da idéia do  movimento e sua  expressão plástica  nas artes visuais  e de experiências óticas,  como elemento constitutivo da obra de arte.

Em 1960, Cruz -Diez instala-se definitivamente em Paris, período que a Arte Cinética estava em seu pleno apogeu.  A  partir de então , realiza sucessivas exposições  e numerosas obras cromáticas integradas à arquitetura, murais, instalações  interativas e intervenções em espaços públicos.

Desenvolve as séries Fisiocromías / Induciones Cromáticas / Cromointerferencias, As Fisiocromías são estruturas compostas de finas lâminas metálicas ou translúcidas,  cuja a cor varia em função da intensidade da fonte luminosa e da posição do espectador.

Suas intervenções artísticas, verdadeiras “situações visuais”, vão eliminar a distância que havia entre o espectador e a obra de arte. Estudioso da Física, Química e da Fisiologia, cria modulações óticas e sensoriais a partir da cor, agora  tratada como espaço: o espectador é deslocado para compartilhar de sua obra  ou interfere em sua percepção ou cria saturações ao enfatizar a sensação física das mudanças cromáticas.

Como todos os pintores da sua geração, Cruz- Diez se considera um descendente direto do impressionismo, do cubismo, do fauvismo e do construtivismo.

Suas obras estão presentes nas principais coleções como MOMA / NY;  Tate Modern/Londres; Centre Georges Pompidou/Paris; Musée d’Art Moderne de la Ville de Paris, Paris; Museum of Fine Arts, Houston, entre outros.” Vanda Klabin!

Carlos Cruz-Diez

El Color en  el Espacio  y en el Tiempo

MALBA /Fundación Costantini, Buenos Aires

21 de setembro de 2011 / 5 de março de 2012

Curadoria: Mari Carmen Ramirez

VANDA MANGIA KLABIN

Tel   +55 (21) 2267-2662

+55 (21) 2522-5624

Fax  +55 (21) 2523-9335

Cel   +55 (21) 9986.9256

vklabin@terra.com.br

CURTAM AS FOTOS PRECIOSAS DE VANDA KLABIN!

PASSEANDO PELA EXPOSIÇÃO!

 

“FISIOCROMIAS”!

Obs: Seguem abaixo, quatro exemplos do mesmo quadro, em dois ângulos diferentes. À medida que se caminha, as lâminas de cor modificam a visão do espectador! Um show! BN

 

Continuando a Fisiocromia!

Obs: Este quadro abaixo é uma homenagem de Cruz-Diez ao grande colorista Albers, que fez parte da Bauhaus!

 

AS INCRÍVEIS “SALAS DE CROMOSATURAÇÃO”, que são fontes luminosas que ele usa para o espectador ficar imerso na obra, interagindo com ela!

“CROMOINTERFERÊNCIA”!

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...