foto (15)

 

Minha filha falou: “mãe, o melhor bolo do mundo é este, da Maria Celina Basto“, e a gente nem discute; encomenda e agradece, pois ela tinha toda razão!

Além de serem uma beleza, são também uma perdição de tão bons! Se voce está de regime, passe longe pois não da pra comer um só pedaço! Ela faz também uns docinhos pra lá de maravilhosos!

Maria Celina, advogada das boas, descobriu num hobby, a culinária, uma fonte de prazer e de renda. Largou a carreira e, depois de alguns cursos, resolveu se dedicar com afinco ao assunto; ainda bem, pois tem talento para o business, e seu sucesso é enorme!

 

foto (25)

Os bolos de Natal são disputadíssimos e a torta de chocolate belga campeã de vendas!

 

foto (18)

 

Vejam que legal o que ela nos conta!

“O trabalho é árduo, mas vale cada segundo quando vejo o resultado! Nem consigo descrever o meu sentimento quando vi a carinha do meu filho olhando para o seu bolo que nas palavras dele “foi o mais legal da minha festa porque acendia”. Fiquei uma noite tentando colocar uma luz no túnel por onde o avião passaria e no final consegui!!! Nunca imaginei que isso viraria um negócio, pois comecei a cozinhar para curar a dor de um coração partido e hoje faço bolos, doces, pirulitos, cakepops, cupcakes. Enfim, sou capaz de montar mesas lindas com os meus doces. Curto cada detalhe dos bolos e vibro com o resultado como criança! Tenho certeza que estou no caminho certo e muita vontade de aprender cada vez mais para proporcionar ainda mais alegria para os meus clientes, especialmente os pequenos. Esse é o resumo da minha “aventura” na cozinha!

 

AC

 

foto (17)

IMG_0699 IMG_0702 IMG_0706

 

IMG_0714

 

AF&F162

foto (8)

FestaFernando (49)

 

foto (2) foto (5) foto (6)  foto (10) foto (11) foto (12) foto (14)    foto (19)  foto (23)   foto 2

 

foto 1

Reparem nos detalhes: Unhas pintadas, fita no cabelo, máscara, turbante…Quanto capricho!

 

foto (21)

Maria Celina Basto

 

CONTATO:

Maria Celina Basto

21-981620844

 

AC

 

Tipo streep tease: revelando a iguaria aos poucos...

Tipo streep tease: revelando o divino doce de batata roxa aos poucos…

 

Aproveitei nossas gloriosas férias para dar uma de Ferán Adriá do brejo…  Para tanto, montei, com a maravilhosa Irene, um humilde laboratório na minha cozinha e nele desenvolvemos (eu falando e ela criando) algumas novas receitas e fáceis, prá gente continuar rolando um lero, no quatro bocas, numa boa.

 

Lembram desta foto na feijoada linda que eu fui?!

Lembram desta foto na feijoada linda que eu fui?!

 

Começo a “desovar” as novidades, por uma promessa: aquele doce de batata roxa surreal, que vimos num post sobre uma linda mesa de feijoada, lembram?
Pois conseguimos fazer, em casa, seu clone e, cá entre nós, de tão bom não deve nada ao seu primo mais chic, o marron glacé. Vamos à receita…

 

Este é o meu ( da Irene) clone....

Este é o meu ( da Irene) clone….

 

INGREDIENTES:
-1 1/2 Kg  Batata roxa;
– 1/2 Kg Açúcar cristal;
– 2 Xícaras de água.

PREPARO:
– Lave e descasque as batatas;
– Ponha em uma panela as batatas, o açúcar e a água;
– Deixe cozinhar, em fogo baixo, mexendo o tempo todo, devagar, até que a batata enteje cozida, já pastosa (soltando os pedaços);
– Caso a água seque, antes da batata estar no ponto ideal de cozimento, acrescente um pouco mais de água, tomando cuidado para não encharca-lo;
– Quando as batatas estiverem perfeitamente cozidas, passe-as numa peneira, amassando, até formar um purê. Só assim ela terá uma textura fina ideal.
– Pegue, então, este purê e volte com ele ao fogo brando e continue mexendo, até dar o ponto do doce, que é quando ele estiver: cremoso, lustroso e soltando do fundo da panela.
– Para dar uma pista, é o mesmo processo do brigadeiro, que só está pronto quando passamos a colher e sua massa está uniforme e compacta, soltando, como uma única porção, do fundo da panela. E como seu irmão de fé, ele também fica puxa-puxa!
– Detalhe: Demora em torno de 2 1/2 h de cozimento.
– Importante: Não ponha na geladeira pois endurece.

Depois, é só servir com um queijo minas maravilhoso e, no dia seguinte, correr pro Céééésarrrrr!!! BN

 

Close up pra dar água na boca....

Close up pra dar água na boca….

 

FullSizeRender-2

Restaurante La Saulire em Courchevel.

 

La Saulire faz parte da minha lista dos melhores restaurantes de Courchevel, ele é situado bem no centro da cidade. O ambiente é divino, o decor típico é muito agradável, o dono Jacques é o maior amor do mundo  e o mais importante, a comida é excepcional!

A grande especialidade é a trufa negra e a carta de vinho um primor total. Foi uma das melhores fondues de queijo com trufas que já comi na vida, e é sem duvida a comida que temos vontade de comer na montanha e tudo feito com muito requinte!

La Saulire: + 33 0479 080752

MP

FullSizeRender-4

Adorei o “trompe L’ oeil”

 

 

FullSizeRender-1

Reparem o tamanho da trufa!

 

FullSizeRender-3

Eu o simpático dono e o Embaixador Paulo Uchoa curtindo o “La Saulire”.

Ele não está em seu maior esplendor pois demorei um pouquinho pra me entender com a máquina de fotografar… Mas o gosto era sensacional e a formação geológica perfeita!

 

Eu amo este souflê porque, como diria minha amada tia Hero, ele é perfeito. Sua receita foi dada pela querida Glorinha Sued à minha mãe, como prova de grande amizade entre as duas: vocês sabem que os mineiros têm um código particular de afeto e conduta e nada é mais significativo para eles, do que revelar os segredos familiares da cozinha, debaixo de sete chaves…

Detalhe, vou contá-lo na versão “Emmental mas fica divino também com “Gruyère” ou queijo coalho.

INGREDIENTES:

8 ovos;
2 cebolas grandes;
200 gramas de manteiga sem sal;
2 pedaços de queijo Emmental, que somados, devem pesar, aproximadamente, 400 gramas.

PREPARO:

Passo 1: Derreta a manteiga, corte cada cebola em quatro partes e junte tudo e cozinhe por 10 minutos. Deixe esfriar bem;
Passo 2: Bata as gemas até formar um creme branco e homogêneo e reserve;
Passo 3: Rale todo o queijo na parte mais grossa do ralador e reserve;
Passo 4: Separe as gemas das claras. Reserve as gemas e bata as claras em “ponto de castelo”, bem firmes, e também reserve;
Passo 5: Separe a metade do queijo ralado e reseve. Junte, num pirex bem alto onde vai ser assado o suflê, o creme feito com as cebolas, o creme feito com as gemas e a outra metade do queijo ralado, misturando tudo;
Passo 6: Delicadamente, misture as claras batidas à mistura do Passo 5, tudo dentro da forma que irá ao forno. Pulverize, por cima de tudo, o restante do queijo ralado, que foi reservado;
Passo 7: Forno para assar, por 20 a 25 minutos. Quando tiver tostado, em cima, está  pronto!

PULOS DO GATO:

1- Se o queijo for de melhor qualidade, seu suflê vai agradecer;
2- O forno tem que estar pelando. Para tanto, deixe-o esquentando por 20 minutos, na temperatura máxima;
3- Minha adorada Helena Gondim, uma das melhores chefs de cozinha que já conheci, me deu esta dica: pôr uma colherinha de café de fermento em pó da Royal, pra ajudar o destino e a subida do suflê. Aqui em casa não usamos, mas Irene esclareceu que quem quiser testar, fazê-lo no Passo 5.
4- Minha mãe, que é das maiores teóricas da gastronomia que conheço sem nunca ter fritado um ovo, diz que o ponto do soufflé é igual ao de um vulcão: Crosta por fora e ponto de lavas em ebulição, por dentro… Se sobrevivermos à esta hecatombe da natureza culinária, ele é divino! BN

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...