Cafeteria nas redondezas do meu hotel, em NYC: amei o “décor”!

 

Vi um “pequeno grande” truque decorativo, se é que a intenção foi esta, numa cafeteria em NYC e pensei, no ato: vou contar pra nossos queridos: serve de inspiração para tempos de crise, ou mesmo para qualquer época, criatividade sempre faz a grande diferença…

 

Como podem ver, não é um lugar espaçoso, principalmente para o número de frequentadores… Qualquer enfeite a mais seria uma temeridade!

 

Mais outro ângulo…

 

Como fez neste lugar público muito frequentado e de difícil circulação, onde qualquer adereço de parede, pela falta de espaço, correria, com certeza, sério “risco de vida”.

 

Close na parede principal, de frente…

 

E de lado… Amei!

 

Achei fantástica a solução de feixes de luzes coloridas complementando, magistralmente, a arquitetura, acrescentando modernidade e até aconchego ao ambiente. Tomara gostem e, sobretudo, que eu não esteja contando uma velha história! BN

 

 

 

 

No aniversário de minha amada filha Isabel, quem ganhou presente fui eu: visita ao ateliê de Palatnik, conosco na foto!

 

Semana passada foi aniversário da minha caçula Isabel TM e ganhei, por tabela, de sua grande amiga Maria Antonia Ferraz, o melhor dos presentes: uma visita guiada ao ateliê do mestre Abraham Palatnik, maravilhoso artistas plásticos brasileiros e expoente da arte cinética mundial, ramo em que é precursor e grande mentor! Como não sou especialista no assunto, deixo a pesquisa sobre o tema para vocês fazerem e muito melhor do que eu: este é o mais eficiente meio de aprendermos. Mas uma preciosa dica fica aos meus cuidados: organizem-se para conhecer, pessoalmente, Palatnik e sua grande arte, dos passeios mais interessantes que fiz ultimamente!

 

Vista divina do Rio de Janeiro!

 

Com hora marcada e encontro na portaria do prédio que abriga o ateliê no Rio de Janeiro, a primeira grande surpresa da jornada é quando a porta abre-se e nos deparamos com a Baia de Guanabara, inteirinha aos nossos pés, já que estamos a 17 andares do nível do mar. Perdi, literalmente, a respiração! A seguir, uma programação que dura, em média, 1 hora e tem outro grande atrativo, além do talento master de Palatnik, é claro.

 

Durante a visita, somos testemunhas oculares do funcionamento do ateliê Palatnik… Na foto, o grande artista, em primeiro plano e, ao fundo, Benny Palatnik debatendo moldura com o profissional responsável!

 

Algumas obras inacabadas, num canto do ateliê, esperando o toque final do Mestre!

 

Palatnik em ação…

 

Que tal sermos recebidos, divinamente, pelo próprio artista e seu simpático filho, Benny Palatnik, que é quem faz as honras da casa? Pois é exatamente o que aconteceu conosco, luxo só! Para conseguir este privilégio, é só contactar a queridíssima e pra lá de competente Maria Antonia, citada lé em cima, que faz parte da maravilhosa equipe da Galeria Nara Roesler, representante do artista. Ela organizará tudo pra vocês e será inesquecível!

 

Máquina de cortar papel também faz parte do ateliê!

 

Obra em andamento!

 

Das obras que mais gosto!

 

Ah, um detalhe fundamental: grupo de, no máximo, 6 pessoas… Imperdível! BN

CONTATO MARIA ANTONIA FERRAZ & GALERIA NARA ROESLER:
+55 21 99982- 1518

 

Embarcando pra NYC: fará parte do acervo do MET!

 

 

 

“UNTITLED” (1958)

 

Yves Klein, um dos artistas mais influentes e conhecido do século 20, praticamente reinventou a arte contemporânea na década de 50 por seu fascínio com o imaterial.

Um apaixonado pelo céu e seus tons, criou seu próprio pigmento azul (chamado de “Klein Blue”).

Klein abriu o caminho para os movimentos da arte conceitual, minimalista, e os movimentos performáticos que se seguiram. Ele fez pinturas monocromáticas e esculturas, construiu uma galeria de exposições a partir do nada, utilizandos corpos nus como pincéis para aplicar tinta ao papel, deixando o vento e a chuva darem forma em  suas telas.
Suas obras fazem parte de acervos permanentes de importantes museus ao redor do mundo, estando presente também em renomadas coleções particulares.

Nascido em Nice na França, em 28 de abril de 1928, o pintor e escultor francês Yves Klein morreu em Paris em 06 de junho de 1962.

Vamos dar uma olhada em suas pinturas e esculturas, “monocromáticos Klein Blue”!

AC

 

“GREAT BLUE CANNIBALISM” (1960)

 

“ANTHROPOMETRY PRINCESS HELENA” (1960)

 

Yves Klein e uma modelo durante performance de “Anthropometry of the Blue Epoch”
Ele era conhecido por usar modelos como “pincéis” para suas telas.

 

“PEOPLE BEGIN TO FLY” (1961)

 

“UNTITLED ANTHROPOMETRY” (1961)

 

“THE WAVE” (1959)

 

“DYING” (1961)

 

“THE VENUS OF ALEXANDRIA” (1962)

 

“BLUE” (1960)

 

“TREE, LARGE BLUE SPONGE” (1962)

 

“ANTHROPOMETRY” (1960)

 

“BLUE AGREEMENT” (1962)

YVES KLEIN

AC

 

 

 

Adorei as estátuas de cerâmica da inglesa Claire Partington, elas são inspiradas nos contos para crianças, no design do século XVII , e nas roupas do passado, misturando história e contemporaneidade. São muito divertidas e estão fazendo grande sucesso no mundo internacional das artes.

MP

 

 

Entre no site para maiores detalhes: http://www.clairepartington.co.uk/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...